Eleições 2018Politica nacional

Ex-deputado promete pedir impugnação do vice de Bolsonaro após “traição” no PRTB

0

Jair Andreoni diz ter sido impedido de se candidatar por conta de acordo entre Levy Fidelix e Major Olímpio em torno da aliança Bolsonaro-Mourão

O ex-deputado estadual Jair Andreoni, do PRTB, promete ir à Justiça Eleitoral pedir a impugnação do general  Hamilton Mourão como candidato a vice de Bolsonaro (PSL) na eleição presidencial de outubro. A revolta de Andreoni se deve a uma alegada “traição” promovida pelo presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix, em torno da aliança para formar a chapa com o ex-deputado federal e militar da reserva do Exército.

O argumento de Andreoni para pedir na Justiça Eleitoral a impugnação da chapa de Bolsonaro é o de que a ata da convenção nacional do PRTB não inclui sua candidatura, que estava prevista na ata firmada na convenção estadual.

O ex-deputado estadual usou as redes sociais para expressar sua revolta com o presidente nacional do PRTB – chamado por ele de “traidor”, “canalha”, “cafajeste” e “lixo humano”, dentre outros adjetivos. Segundo Andreoni, o veto à sua candidatura teria sido uma demanda do Major Olímpio, que integra os quadros do PSL (o partido de Bolsonaro) e se candidatá ao cargo de senador.

“O pedido de impugnação da chapa do Jair Bolsonaro se deve à truculência e atitude anti-democrática do candidato Major Olímpio exigindo a retirada do já candidato eleito em convenção estadual ao Senado Federal Jair Andreoni”, escreveu o próprio.

Ex-deputado ataca acordo por vice de Bolsonaro

General da reserva do Exército Antonio Hamilton Martins Mourão foi escolhido para ser vice de Bolsonaro
Divulgação/Exército Brasileiro – 7.7.14

General da reserva do Exército Antonio Hamilton Martins Mourão foi escolhido para ser vice de Bolsonaro

Em vídeo, Andreoni disse estar “desapontado” com a permissividade de Bolsonaro com essa suposta “traição”. “Como é que o candidato dele [Major Olímpio] pode forçar a minha saída de candidato eleito em convenção? Para fazer uma aliança, eles exigem a minha saída? Isso não é coisa de gente séria que quer administrar bem o País. Gente bem intencionada não passa rasteira e nem ajuda a passar rasteira nos outros”, lamentou.

Além de trazer Mourão para ser o vice de Bolsonaro , o acordo tecido entre PSL e PRTB também previa, segundo Andreoni, “facilitar a candidatura” de Rodrigo Tavares, genro de Levy, ao Palácio dos Bandeirantes em São Paulo. “Foi uma atitude rasteira do senhor presidente do partido PRTB, Levy Fidelix, em aceitar tal proposta para facilitar a candidatura do seu genro ao Governo do Estado de São Paulo. A convenção estadual é soberana ato jurídico, justo e perfeito”, finalizou Andreoni.

Com IG/SP

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Coluna – Ação judicial acusa empresas de fraude documental em área de expansão do condomínio San Matheus

Previous article

Neodi não pode ser candidato à vice por ter praticado conduta vedada

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like