Política regional

Pastor afirma “Satanás está na justiça eleitoral” vereador rebate “ele ganhava 4 mil com a Donadon”

0

Em oração durante evento, pastor diz que “inimigo” está usando justiça e adversários para perseguir Rosani, Vereador reage: “Ele tinha cargo comissionado de R$ 4.500 na prefeitura”

As eleição suplementar de Vilhena descambou para baixaria, e os mais exagerados são os membros do grupo da ex-prefeita Rosani Donadon, que teve seu registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral. Em evento realizado nesta quinta-feira no centro de Vilhena, a ex-prefeita Rosani Donadon (MDB) confirmou que vai manter sua candidatura no pleito suplementar, que acontece na cidade no dia 03 de junho.

Em sua fala, Rosani disse que ela e sua família são perseguidos pela justiça desde que colocaram os pés em Vilhena, há mais de 20 anos, afirmando que  “as autoridades sempre arrumam motivos para tirar seus familiares das disputas eleitorais”.

Convidado para fazer uma oração por Rosani, o pastor evangélico Dionaldo Pereira disse: “Senhor, abençoe sua filha, porque o inimigo está usando a justiça e os adversários para persegui-la”.

Logo em seguida, o vereador Ronildo Macedo (PV) reagiu indignado à oração feita pelo pastor Dionaldo Pereira. Macedo disse que o religioso não deveria usar seu ministério para abordar questões políticas: “Ele deveria ficar envergonhado: prega a Palavra de Deus, mas ao mesmo tempo ta aí defendendo gente com vários condenados na família”, disparou o parlamentar, que apóia o empresário Eduardo Japonês (PV), adversário de Rosani.

O vereador disse que Dionaldo recebia portaria com salário de R$ 4.500 na gestão de Rosani, o que seria o motivo de misturar religião com política em favor de sua candidata.

Ronildo finalizou: “Ao apelar para uma baixaria, insinuando que o ‘inimigo’ tem influência sobre a justiça, esse tal Dionaldo deveria lembrar que o juiz eleitoral que indeferiu Rosani também é pastor evangélico”.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Para Cassol, Confúcio deveria pedir desculpas ao povo de Rondônia

Previous article

Coluna – Em menos de 4 meses, mais de 8 mil empresas fecharam as portas em Rondônia

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like