0

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federalque negue habeas corpus que favoreceria o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso na Operação Lava Jato desde outubro de 2016.

O habeas foi apresentado ao STF pela defesa de Cunha após a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça negar recurso semelhante por ‘não satisfazer os pressupostos para seu processamento’.

Cunha responde por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e recebimento de vantagem indevida de um milhão de francos suíços referentes a um contrato de aquisição, pela Petrobrás, dos direitos de participação na exploração de campo de petróleo na República do Benin.

No parecer, Raquel afirma que o habeas é ‘inadmissível’ pois a defesa não apresentou os recursos adequados, o especial e o extraordinário, perante a decisão do STJ.

“Como o presente Habeas Corpus foi impetrado como mero subterfúgio para evitar a interposição de recurso extraordinário, em vista de veicular violações meramente reflexas ou indiretas à Constituição, impõe-se a sua inadmissão, na esteira da jurisprudência pacífica do STF”, afirma a procuradora.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NO ESTADÃO –FOTO: RICARDO BOTELHO / BRAZIL PHOTO PRESS / AG. O GLOBO

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Relatório do COAF revela movimentação de R$ 1,2 milhão em conta de ex-motorista de Flávio Bolsonaro

Previous article

Fazenda sugere a governo Bolsonaro fim do abono salarial e revisão do reajuste do mínimo

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like