Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

População de Cacoal pede a cassação de prefeito do PT

0

Um grupo de manifestantes organizado, que se autodenomina”Movimento Detalhe”, pediu a renúncia ou cassação do prefeito de Cacoal, Francesco Vialetto (PT), e de políticos denunciados na Operação Detalhes, protocolou na noite desta segunda-feira, 18/05, um documento em que pede a criação de uma comissão processante para apurar as denúncias de improbidade administrativa de agentes administrativos e políticos do Município. De acordo com os líderes da Organização, esse pedido tem, por assim dizer, o objetivo de ressuscitar a CPI da Saúde, frustrada quando metade dos vereadores votou contra o seu relatório, o que impedia, com isso, o prosseguimento do rito normal das apurações.

O presidente em exercício da Câmara Municipal de Cacoal, Claudemar Littig, deve ler o pedido na próxima segunda-feira, dia 25 de maio.

COMO SURGIU O MOVIMENTO DETALHE E QUEM DELE PARTICIPA

O Movimento Detalhe surgiu da união de várias pessoas e grupos indignados com os escândalos revelados durante a operação do Ministério Público. O movimento não permite a participação de políticos, e um dos participantes explica, “ao vedarmos a participação principalmente de políticos com cargos eletivos, queremos evitar situações vexatórias como a dos partidos políticos que, por ter um ou mais membros citados ou denunciados nesta operação, simplesmente optam pelo vergonhoso silêncio. É o caso do PT, do PV e do PTB que até a presente data não emitiu sequer uma nota a respeito de tudo isto, o que evidencia profundo desrespeito à população e especialmente aos seus correligionários”, informa um dos dirigentes do grupo, a quem asseguramos o anonimato já que o mesmo é servidor do Município e teme represália dos atuais dirigentes.

Abaixo, documento protocolado no dia 18/05/2015 à mesa diretiva da Câmara Municipal

Ao senhor

Claudemar Littig

Presidente da Câmara Municipal de Cacoal em exercício

Cacoal, 18 de maio de 2015

Senhor Presidente e demais vereadores,

Apresentamos abaixo a nossa solicitação e pedimos que a mesma seja lida em plenário pela mesa diretora desta Casa.  Na Constituição Federal em seu art. 37, caput, trata dos princípios constitucionais, sendo: legalidade, moralidade, impessoalidade, publicidade e eficiência, bem como princípios da licitação pública, responsabilidade civil da administração, razoabilidade e proporcionalidade, os quais são balizadores da gestão pública.

Com a deflagração da Operação “Detalhe” no dia 08 de maio, ficou claro que os princípios acima citados não estão sendo respeitados pelo Poder Executivo e parte do Poder Legislativo de Cacoal, como determina a legislação. Aquilo que a CPI desta casa apurou se confirmou na realização desta operação, embora a Câmara Municipal tenha rejeitado o relatório em uma vergonhosa votação, nada impede de retomar os trabalhos e esta casa dar a resposta correta que nós cidadãos cacoalenses esperamos do Poder Legislativo.

Novos áudios foram divulgados pela polícia e desta vez, não terão como dizer que os áudios são ilegais, eles são tão legais que a justiça os considerou e autorizou todas aquelas prisões, buscas e apreensões, dentre outras ações da Operação Detalhe. Diante de todas estas provas legais que esta casa poderá obter da policia civil e ministério público e considerando ser obrigação desta casa apurar todos os fatos praticados por membros do Executivo Municipal e Poder Legislativo, com base em nossa Lei Orgânica, vimos por meio deste requerer o seguinte:

A instalação imediata de Comissão Processante – CP, para buscar a elucidação dos fatos amplamente divulgados na imprensa local e estadual relativos a tráfico de influência e pagamentos de propinas envolvendo possivelmente um grupo de funcionários de primeiro escalão da administração municipal, os vereadores: Paty Paulista, Donizete da Sucam, Valdomiro Corá, Cesar Condack, Valter Pires, Toninho da Emater, Pedro Ferrazin e o senhor prefeito Francesco Vialetto.

Esperamos sinceramente que esta Casa nos dê bons exemplos e não se exima de suas responsabilidades, assim como fizeram na votação do relatório da CPI, é hora de ir além do discurso e partir para a prática.

Certos do bom recebimento deste documento, agradecemos pela atenção.

Movimento Detalhe

Comentários
Carregando