Porto Velho, melhor ou pior sem o shopping?

Notas exclusivas de Painel Político

O Porto Velho Shopping, um empreendimento construído no ápice econômico promovido pela construção das usinas do Madeira na capital, vem sendo alvo constante de críticas por parte de usuários, lojistas e população em geral. Usuários criticam o valor estacionamento, as lojas reclamam das taxas cobradas pela administração e a população acha que não está bom.

Os shoppings são termômetros econômicos confiáveis. Se a economia vai bem, o shopping “bomba”, se vai mal, a tendência é fechar. Shoppings, assim como qualquer outra empresa, visam o lucro. E são as lojas, boutiques, stands e estacionamentos que geram a renda responsável pela manutenção (e nisso inclui custos com energia elétrica, publicidade interna e externa, pessoal, limpeza, manutenção, seguro, ações judiciais e por ai vai) e claro, o lucro do grupo proprietário.

Em seu apogeu, o Porto Velho Shopping foi, proporcionalmente, o mais lucrativo da rede mantida pelo grupo com acionistas canadenses, e naquela época era o “queridinho da cidade”. O dinheiro circulava e um ou outro se queixava do valor do estacionamento ou de algum outro problema, mas eram queixas pontuais. Com a crise que se abate sobre o país  sendo Porto Velho uma cidade cuja economia depende do contra-cheque, de uma hora para outra o shopping virou “o vilão”. Mas não é. Nenhum empresário está disposto a reduzir sua margem de lucro para manter um serviço “por amor”. Sacrifícios são feitos, mas a bem ou mal o shopping gera empregos e no atual contexto é importante que eles sejam mantidos.

Analise a situação pelo seguinte prisma, qual a empresa que você entra, passa o dia inteiro usufruindo de um ambiente climatizado, com banheiros, bancos, cadeiras, onde você não é obrigado a gastar nada ou no máximo paga R$ 7 reais “de entrada” para toda a família?

Com o shopping é ruim, mas sem ele, vai ficar ainda pior. Não estou dizendo que o shopping vai fechar as portas, mas se mantiver o atual ritmo, e com tantas críticas negativas, essa é uma tendência natural. Se Porto Velho tivesse 4, 8 ou 12 shoppings, seria apenas um empreendimento que não deu certo. Mas quando o único, de uma cidade com 400 mil habitantes fecha, é porque a coisa realmente está muito errada.

E tá barato

O estacionamento do Porto Velho Shopping é preço único. Por R$ 7 seu carro fica o dia inteiro dentro de um local com segurança e com seguro. Em qualquer outra capital se cobra um valor “x” para a primeira hora e a partir da segunda hora é cobrado por minuto. Em média R$ 0,10 e em alguns casos chega-se a R$ 0,20 por minuto adicional. Seu carro/moto quando está estacionado dentro da área do shopping fica sob a responsabilidade do empreendimento. Eles podem até contestar, demorar para pagar, mas vão. Se seu carro está na rua porque você acha que R$ 7 é caro, lamento informar, mas você está fazendo uma economia burra. Até mesmo um risco que alguém fizer em seu carro, é mais caro que os R$ 7 que você se recusa a pagar “porque está caro”.

E mais, quanto você dá para aquele “guardador de carros”  de rua quando sai do shopping? Há, já sei, você vai dizer que aquele “cincão” é para ajudar o cara que está desempregado, né? É uma boa desculpa, se você também acredita que quem dá presente no fim do ano é o papai Noel…

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília