Estelionato

Embora os petistas fiquem uma arara quando os desafetos pespegam a pecha de estelionatário por pregarem um discurso na campanha e ao vencer o pleito implementarem políticas que na campanha demonizaram, o discurso de Lula reconhecendo o erro é uma estratégia meticulosamente estudada de marketing para minimizar os estragos que a contradição causou no governo petista. Quem apostar numa ruptura entre Lula e Dilma está perdendo tempo, pois criador e criatura são feito carne e unha. Inclusive quando combinam em privado uma briga em público. Tudo cascata!

Incredulidade

Apesar da pancadaria que o Partido dos Trabalhadores está tomando desde a posse de Dilma Roussef para o segundo mandato, com índices de rejeição altíssimos, as demais agremiações partidárias (a exemplo do PSDB) não estão conseguindo atrair os eleitores para suas hostes nem os prováveis candidatos às eleições municipais estão empolgando. Há uma incredulidade geral que afeta na credibilidade dos políticos, os bons e os maus. Para a maioria do eleitorado todos os políticos são farinha do mesmo saco.

Apostas

Na capital rondoniense os prováveis candidatos a prefeito também não animam os eleitores. Há quem aposte numa eventual reeleição de Mauro Nazif (PSB) em coligação com o PMDB. No entanto, Mariana Carvalho (PSDB), Léo Moraes (PTB) e Aluísio Vidal (Rede) aguardam o momento mais adequado para definirem se vão encarar a disputa ou não. Em política tudo é possível, inclusive Mauro Nazif se reeleger. Porto Velho é que não merece outro desastre administrativo com três anos perdidos sem nenhuma obra significativa para exibir no guia eletrônico.

Marca

Os partidários do prefeito da capital alegam que há na cidade muita obra de asfalto, o que é uma obrigação. A única marca dessa administração municipal de grande visibilidade é a forma lenta, onerosa e ruim com que as obras são tocadas. Um simples sinal, entre as avenidas Imigrantes e Lauro Sodré, a prefeitura de Porto Velho não consegue colocar em funcionamento sem provocar colapso no trânsito e irritação nas pessoas que trafegam por elas. Isso sem falar nos viadutos inacabados que o prefeito faz de conta que não tem responsabilidade sobre eles.

Troca

Com a possibilidade de uma “janela” que permitirá o troca-troca de partidos sem a ameaça dos parlamentares perderem os cargos por infidelidade, em Rondônia, na bancada federal e estadual, haverá mudanças. O deputado federal Expedito Neto deverá mudar do Solidariedade (de Paulinho da Força) para o PSD (de Gilberto Kassab). Marcos Rogério (PDT), em litígio com o senador Acir Gurgacz, estuda migrar para outra legenda. O deputado estadual Alex Redano sai do Solidariedade e se filia ao PSD, e o deputado Laerte Gomes deixa o PEN pelo PSDB. O troca-troca de legenda deve ser ainda mais amplo.

Azedas

Corre à boca miúda que as relações entre o deputado federal Marcos Rogério (PDT) e o senador Acir Gurgacz (PDT) não são amistosas e azedaram de vez. Ambos têm se evitado pessoalmente e nas poucas vezes que se encontram casualmente o tratamento é de frieza. Prova desse afastamento é o desaparecimento do deputado das pautas do grupo de mídia do senador.

Tragédia

Já fui próximo do conterrâneo Alexandre Muller, muito antes dele assumir as funções no primeiro escalão do governo da tal cooperação (Aliás, sequer soltou uma nota de pesar) . Depois nos afastamos e os encontros rarearam. A coluna lamenta muito o fato que culminou com a vida ceifada do médico e a forma como ocorreu.Um artigo primoroso da lavra da jornalista Lu Braga indica que era uma tragédia anunciada. Uma pena!

BR

É importante para os estados da Amazônia e Rondônia a restauração da BR 319 que tanta polêmica provocou na semana passada, principalmente nos meios políticos. No entanto, é igualmente importante para ambos os estados a preservação de suas florestas, dos mananciais, da fauna e flora.

Lex

Esse discurso fácil que setores atrasados fazem em defesa da estrada não leva a lugar algum e não ajuda a solucionar o problema. Há um arcabouço jurídico a ser respeitado para que a obra seja feita, quer queiram ou não, especialmente pelo senhores políticos que fazem as leis.

Cumprimento

Quando a primeira camada asfáltica foi colocada na BR 319, anos atrás, não havia as mazelas provocadas pelos danos nem as leis ambientais. Mas hoje a realidade é outra e os órgãos fiscalizadores estão corretos em exigir que a legislação seja cumprida rigorosamente. Vulgarizar o arcabouço jurídico e ridicularizar os órgãos de fiscalização não é o caminho a se percorrer em busca de uma solução. O cômico desse problema foi constatar parlamentar almofadinha percorrendo todo o traçado da estrada de carro sem o conforto oferecido nos aviões que cortam os céus de Rondônia, com eles a bordo.

Vale tudo

Tem causado indignação a intromissão do prefeito de Ariquemes, Lourival Amorim, nas eleições da seccional do OAB-RO em favor de uma chapa. O curioso é a forma agressiva que assessores do prefeito abordam os advogados lotados na municipalidade e as críticas injustas que fazem ao candidato Andrey Cavalcante. Misturar nossos políticos com a instituição não é um bom começo. Na medida em que se aproximam as eleições (17), setores com interesses inconfessáveis partem para o ataque rasteiro ao atual presidente. Mas é um assunto para a próxima semana com boas revelações.

Cretinice

Como não têm o que falar da pessoa de Andrey Cavalcante, seus opositores criticam a decisão de ser candidato à reeleição, e lembram da promessa feita três anos atrás em não disputar outro mandato. A contradição é aparente já que a candidatura à reeleição foi uma imposição da maioria dos advogados do grupo que entendeu que Andrey agregava mais e melhor. Ademais, é cretinice a crítica: em todas as chapas registradas há advogados que compõem a atual gestão ou compuseram as gestões passadas. Trocaram apenas as posições.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta