Presidente do PT pediu a ministro para ‘frear’ prisão de Lula

Trecho de gravação telefônica feita pelos investigadores da Lava Jato mostra o presidente do PT, Rui Falcão, cobrando do então ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, uma reação do governo sobre o pedido de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva feito pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

Segundo os investigadores, eles também falam sobre o que aconteceria com o pedido de prisão se Lula aceitasse um ministério imediatamente. Questionado por Falcão, Wagner diz não saber qual seria o impacto da nomeação.

Na quarta-feira (16), o juiz Sergio Moro divulgou um áudio em que Dilma diz a Lula que lhe enviaria o termo de posse para ele usar “em caso de necessidade”. A oposição interpretou que se tratava de uma tentativa da presidente para Lula se livrar de uma ação policial. O governo contesta, e diz que estava enviando o termo de posse porque Lula estava com problemas para comparecer à cerimônia de posse marcada para quinta-feira (17).

A ligação foi feita por meio de um celular utilizado pelo ex-presidente Lula e ocorreu em 10 de março, dia em que foi divulgado o pedido de prisão feito pelos promotores Cassio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Araújo, do MP-SP,

Em 14 de março, a juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga de Oliveira, da 4ª Vara Criminal da Justiça de São Paulo, decidiu transferir o caso para a 13ª Vara Federal de Curitiba, onde atua o juiz Sergio Moro. O entendimento foi que os crimes denunciados são federais e não estaduais.

JAQUES WAGNER X RUI FALCÃO

10/03/2016

RUI: Oi, JAQUES. O louco do CONSERINO aqui pediu a preventiva do LULA.
JW: É, eu vi porra.
RUI: Sim, e vocês vão deslocar alguém pra cá, como é que é?
JW: Deslocar em que sentido?
RUI: Não, acho que tem que vim alguém pra cá, porra, pra se mexer aqui também.
JW: Mas alguém quem? Só pra eu entender. Não, que eu não tô raciocinando.. (Ininteligível)
RUI: Não tem ministro da justiça, não tem..
JW: Não, tem ministro da justiça. Ele tá no ministério. Claro. Ele tá no posto.
RUI: Alguma iniciativa vocês precisam tomar. Porque tá na mão de uma juíza da quarta vara que não sabe quanto toma decisão, mas pode tomar decisão hoje. Nós…
JW: Ah, ele pediu a preventiva do cara em cima do que?
RUI: Não… não tem… em cima do TRIPLEX, da denúncia, ele é louco. Os três promotores aqui, JAQUES.
JW: Tá bom. Deixa eu fazer alguma coisa aqui.
RUI: É, porque eles podem, a juíza pode despachar agora, tá? Tem os advogados tá lá, “tamo” chamando deputado…
JW: Falou, ok.
RUI: A outra coisa é o seguinte: se nomear ele hoje, o que que acontece?
JW: Aí não sei, eu tô por fora.
RUI: Então, consulta isso também…
JW: Mas ele já decidiu?
RUI: Não, mas nós “tamo” todo mundo pressionou ele aqui. FERNANDO HADDAD, todo movimento sindical, todo mundo.
JW: Tá bom.
RUI: Tá.
JW: Eu acho que tem que ficar cercado em torno do prédio dele e sair na porrada, RUI.
RUI: Tem nada.
JW: Não, tudo bem, ué? Mas tem que cercar tudo.
RUI: Não, eu sei, mas enquanto isso..
JW: Tudo bem, deixa eu falar aqui.
RUI: Alerta a presidente. Toma a decisão de estado-maior aí.
JW: Falou, ok..
RUI: E mantém a gente informado. Ele, tá?
JW: Tá bom.

As informações são do G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta