• Homepage
  • >
  • Política
  • >
  • Presidente do Conselho de Ética espera pedido de cassação de Aécio para comentar

Presidente do Conselho de Ética espera pedido de cassação de Aécio para comentar

Presidente do Conselho de Ética espera pedido de cassação de Aécio para comentar

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), afirmou que vai aguardar o protocolo de pedido de cassação para se manifestar sobre o caso do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

“Não estou sabendo de nada oficialmente. Como de praxe, vou aguardar que cheguem os documentos para poder tomar uma posição sobre o caso”, afirmou.

Como o presidente do Conselho de Ética é responsável por acatar ou rejeitar em primeira instância denúncias contra os senadores, ele preferiu não dar opinião no caso.

O pedido de cassação de mandato de Aécio será feito pela Rede Sustentabilidade na tarde desta quinta-feira, 18, conforme informações da assessoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A representação tem por base as recentes revelações da delação do dono do frigorífico da JBS, Joesley Batista, que entregou à Polícia Federal áudio em que o senador Aécio pede R$ 2 milhões de propina.

O delator aponta ainda que a propina teria sido repassada para o senador Zeze Perrella (PTB-MG). A Rede estuda entrar com representação também contra Perrella.

Afastamento. Além da possibilidade de cassação pelo Senado, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o afastamento de Aécio Neves do cargo de senador. A notificação deve ser enviada à Secretaria Geral da Mesa do Senado ainda nesta quinta-feira.

As bancadas do PSDB na Câmara e no Senado também se reúnem nesta quinta-feira para discutir o afastamento de Aécio do cargo de presidente do partido. Reservadamente, os parlamentares comentam que situação de Aécio é insustentável.

Câmara. Já na Câmara, o vice-presidente da Casa, Fábio Ramalho (PMDB-MG), pregou nesta quinta-feira “serenidade” neste momento de turbulência política no País.

“É um momento de cautela, da gente não fazer nenhum prejulgamento”, disse ao chegar à Câmara.

O peemedebista disse que é preciso confiar nas instituições e pregou que a Casa continue trabalhando, atuando inclusive para dar andamento à reforma da Previdência. “A Casa não tem que ficar paralisada”, declarou.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda não veio ao seu gabinete, e sua agenda institucional não foi divulgada.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Deixe uma resposta

Direto de Brasília