Depois de mais de 26 horas, chegou ao fim, às 19h40 desta segunda-feira (19), a rebelião na Casa de Detenção Dr. José Mario Alves da Silva, o Urso Branco, em Porto Velho. Os cerca de 500 presos pediam o afastamento do diretor da instituição, Célio Lima. Dos 38 familiares mantidos reféns, quatro saíram do local, mas o restante preferiu ficar com os detentos.

O governo cedeu à pressão dos amotinados e concordou com a exoneração do diretor, que caiu porque vinha realizando uma intensa campanha para acabar com o tráfico de drogas e mordomias dentro do presídio. Não foram registradas mortes durante a rebelião.

A queda do diretor mostra que o crime organizado vem conquistando cada vez mais espaço e comprovando que a política de segurança adotada pelo atual comando da segurança pública não está surtindo efeito.

O governo não se manifestou sobre a rebelião, tampouco sobre o que vai fazer de agora em diante.

PAINEL POLÍTICO acha que os presos poderiam fazer uma rebelião para pedir também a saída dos atuais secretários de Defesa e de Justiça. Não fariam falta.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário