Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Pretende fazer faculdade a distância? Tire suas dúvidas sobre cursos EAD

0

Cursos de graduação a distância já são a escolha de 15,8% dos alunos matriculados na faculdade em todo o País. O número chega a 1,15 milhão de estudantes, segundo o último censo da educação superior divulgado pelo Ministério da Educação em 2014.

A modalidade a distância cresceu exponencialmente na última década. Em 2003, eram apenas 50 mil os matriculados em cursos de graduação EAD. Ainda assim, há dúvidas sobre o funcionamento do curso e quais as regras para que o curso tenha aprovação do MEC. Tire abaixo as principais dúvidas sobre faculdade a distância.

Curso de graduação a distância é 100% virtual?

Não, o MEC exige que todos os cursos de graduação a distância tenha, ao menos, avaliações presenciais. Cursos com formação em laboratório no currículo também devem cumprir essas atividades em polos presenciais, onde há tutores para acompanhar os estudantes.

“Os polos, para serem credenciados, têm que ter infraestrutura: biblioteca, salas de estudo, laboratório com internet, área administrativa. Já no ato da matrícula, o estudante pelo calendário quando é que ele terá de frequentar o polo”, explica Jeferson Fagundes, diretor de Educação a Distância do Grupo Estácio, que tem 63 mil alunos matriculados em cursos de ensino superior a distância.

Faculdade EAD é mais fácil e rápida que um curso presencial?

Não deve ser. O Ministério da Educação exige que cursos presencial e a distância tenham a mesma estrutura curricular e carga horária.

Na hora de escolher o curso, o aluno “tem que olhar se o material didático tem a densidade de uma disciplina de curso de graduação. As matérias têm de aparecer no material com a mesma densidade de um curso presencial. Daí vale comparar com outros colegas que façam o presencial. Outra coisa é que o curso deve ter provas em que haja reprovação. Se é muito fácil e todos passam, o nível pode não ser adequado”, indica Carlos Bielschowsky, presidente da Fundação Cecierj, que oferece vagas em cursos EAD de universidades públicas no Rio.

O diploma de curso a distância tem menor valor no mercado de trabalho?

Para os especialistas consultados pelo iG, o preconceito contra formação a distância torna-se menor conforme a modalidade se torna mais comum. “Eu vejo que o mercado começa a perceber que o aluno de educação a distância costuma terminar o curso como um profissional mais autônomo e mais organizado, isso por conta da própria metologia do curso”, avalia Bielschowsky, presidente do Cecierj, que oferece vagas EAD em universidades públicas do RJ por ano.

É importante destacar que o diploma de ensino superior não apresenta qualquer marca se o curso foi feito de forma presencial ou a distância. “Um curso a distância feito conforme a legislação tem a mesma qualidade de um presencial”, destaca Bielschowsky.

Curso a distância é só assistir à videoaula?

Assim como um curso presencial não é feito apenas de aulas, um curso a distância também não é feito apenas de videoaulas. Em geral, há aulas em vídeo, material didático para leitura, exercícios no computador e debates em fóruns virtuais. Por vezes, há também prática em laboratório e outras atividades presenciais que são feitas no polo.

Eu não terei professores e colegas para debater e tirar dúvidas?

Calma. Além das aulas dadas por professores em vídeo, às vezes gravadas, às vezes emitidas ao vivo, há a figura do tutor no curso a distância. O tutor é um profissional capacitado que é responsável por tirar as dúvidas dos alunos enviadas por e-mail, por chat, por fórum ou em encontros presenciais. “A regra é que cada tutor cuide de, no máximo, 50 alunos”, explica Bielschowsky.

Os tutores devem ter formação adequada ao projeto do curso. O ideal é que, ao menos, 50% do corpo de tutores presenciais tenham titulação mínima em nível de pós-graduação.

A participação em fóruns e a interlocução com tutores representa 20% da nota final do estudante nos cursos da Estácio, segundo Jeferson Fagundes. “O aluno é convidado o tempo todo a interagir em fóruns da disciplina. Ao participar de um fórum, ele tira dúvidas, troca experiências e também é avaliado pelo que escreveu.”

O aluno pode estudar de qualquer lugar em um curso a distância?

A educação a distância reduz permite que alunos de qualquer lugar do País possam fazer cursos em outros Estados ou mesmo outros países e essa é sua grande vantagem. Muitas instituições tentam facilitar o acesso ao material didático e às aulas criando ambientes que possam ser usados em computadores, tablets e celulares.

No entanto, o aluno deve lembrar que para poder se dedicar ao estudo precisará de um espaço próprio para isso. “Ele tem que ter um lugar na casa para poder estudar, com conforto, com computador na internet, com silêncio. Se não, não vai conseguir ter a dedicação necessária e não terá o rendimento esperado”, indica Jeferson Fagundes.

Todo aluno consegue estudar a distância?

O estudo a distância exige autonomia e organização do aluno, que deverá ajeitar sua rotina para que haja tempo suficiente de dedicação ao estudo. “O tempo que um aluno separa para ir às aulas em uma universidade deve ser parecido com o tempo que o aluno de EAD tem que dedicar ao estudo. Só que ele pode concentrar todas as aulas em número menor de dias da semana, por exemplo”, diz Jeferson Fagundes, da Estácio.

Para reduzir as taxas de evasão, a Fundação Cecierj, que reúne cursos a distância das universidades públicas do Rio de Janeiro, decidiu readequar seus currículos para que no primeiro semestre o estudante tivesse acompanhamento mais próximo de tutores e aprendessem a nova modalidade de ensino.

“Percebemos que muitos alunos não estão preparados para entrar em uma universidade pública tendo de se responsabilizar pela organização de seus estudos e tudo o que um curso a distância exige”, explica Bielschowsky. Atualmente, os 14 mil calouros que entram nas graduações da Fundação anualmente têm uma disciplina específica para explicar como funciona a EAD.

Comentários
Carregando