Projeto que proíbe cobrança de bagagem aérea sofre pressão na Câmara

In Congresso Nacional
Projeto que proíbe cobrança de bagagem aérea sofre pressão na Câmara
Espalhe essa informação

De acordo com o senador Humberto Costa (PT-PE), autor da proposta que já foi aprovada no Senado, os deputados estão sofrendo pressão de membros do governo para não votar a matéria.

A um mês do início da cobrança de bagagens no transporte aéreo, o projeto que pode suspender a determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) ainda não foi votado pela Câmara dos Deputados. De acordo com o senador Humberto Costa (PT-PE), autor da proposta que já foi aprovada no Senado, os deputados estão sofrendo pressão de membros do governo para não votar a matéria.

De acordo com a Resolução 400 da Anac, as empresas aéreas vão poder cobrar pela bagagem despachada de quem comprar bilhetes de viagem a partir de 14 de março. Na tentativa de impedir a cobrança, os senadores aprovaram um projeto em dezembro do ano passado. Para entrar em vigor, entretanto, é preciso que o projeto seja aprovado também pela Câmara.

De acordo com Costa, o projeto ainda não caminhou na Câmara devido à ação de integrantes do governo e lobistas do setor de empresas aéreas. Não há previsão para que a proposta entre na pauta da Casa.

Fonte: correiobraziliense

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Médico de 69 anos é preso por abusar de mulheres durante exames para CNH

Espalhe essa informação Ele tocava seios e cintura de vítimas durante exames Um médico de 69 anos foi preso

Read More...
Paquistanês de 70 anos revela que sexo todos os dias rendeu 54 filhos

Paquistanês de 70 anos revela que sexo todos os dias rendeu 54 filhos

Espalhe essa informação Morador de Nushki, no oeste do Paquistão, Abdul Majeed Mengal sustenta a grande família trabalhando como

Read More...
Governo federal vai lançar pacote para obras municipais

Governo federal vai lançar pacote para obras municipais

Espalhe essa informação A Caixa Econômica Federal dará financiamento para as áreas de mobilidade urbana, resíduos sólidos, iluminação pública,

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu