Promotor recomendará semiaberto a madrasta de Isabella Nardoni

Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabella Nardoni, pode ser transferida para o regime semiaberto, segundo informação exibida pelo programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo. A defesa da presidiária entrou em abril com um pedido para a concessão do benefício, que deve ser recomendada pela direção do presídio de Tremembé, onde Anna Carolina está atualmente, e pelo promotor do caso. A expectativa é que a decisão final ocorra em dez dias.

Condenada a 26 anos e oito meses de prisão pelo homicídio qualificado da menina de 5 anos, Anna Carolina está presa desde 2008. A defesa alega que, como os dias de cadeia dela foram reduzidos em quase dois anos, uma vez que ela trabalha como costureira na penitenciária, ela já cumpriu 2/5 da pena e é possível migrar para o semiaberto.

Segundo o parecer da equipe técnica apresentado pelo programa, os laudos psicológico e psiquiátrico apontam que “a possibilidade de reincidência [da detenta] é nula”. A psicóloga responsável afirma que Anna Carolina tem nível intelectual acima da média. Segundo a presidiária, nos últimos nove anos em que esteve reclusa, ela aprendeu a ser mais paciente.

“Não me sinto culpada nem arrependida, porque sou inocente”, disse a madrasta de Isabella durante a avaliação, segundo o documento. Ela e o pai da menina, Alexandre Nardoni, que pegou a sentença de 30 anos e dois meses de prisão, teriam sido cúmplices na morte de Isabella. Anna Carolina teria asfixiado a criança até que ela perdesse a consciência e Alexandre, pensando que estava morta, teria jogado a filha ainda com vida pela janela do prédio em que moravam, na capital paulista.

Condenada pela morte de Isabella Nardoni, Anna Jatobá pede para ir ao semiaberto

Isabela Nardoni foi morta pelo pai e pela madrasta

Semiaberto

Na prisão, Anna Carolina divide a cela com outras oito mulheres. Segundo o programa, além de trabalhar como costureira, ela fez curso de panificação e eletricista e, se conseguir o regime semiaberto, pretende estudar moda e abrir sua própria confecção. O benefício permitiria que ela saísse durante o dia para trabalhar e voltasse apenas para dormir no presídio. Ela também teria direito às saídas em datas especiais, como o próximo Dia dos Pais e o Dia das Crianças.

“Quero estar com meus filhos. Vou morar em São Paulo ou uma cidade do litoral, trabalhar e tentar viver minha vida. Gostaria que um dia minha vida pudesse voltar ao normal. Gostaria de desenvolver o meu lado espiritual e ajudar as pessoas”, disse a madrasta de Isabella. Ela e Alexandre Nardoni têm dois filhos, de 10 e 12 anos.

De acordo com o psiquiatra que fez a avaliação, ela assimilou a gravidade do ocorrido, possui valores éticos e morais e é capaz de manter controle sobre sua agressividade.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília