Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

PSC ofereceu R$ 20 mil a jovem que denunciou Feliciano; PGR vai investigar deputado

0

Jovem contou que não aceitou o dinheiro; assessor disse que ela impôs condições ao pagamento; hackers divulgam “podres”

A estudante de jornalismo Patrícia Lélis, 22 anos, acusou o deputado federal e pastor Marco Feliciano de assédio sexual, agressão e tentativa de estupro. Em entrevista coletiva na segunda-feira no Senado, a jovem relatou que o PSC ofereceu dinheiro para comprar o seu silêncio, mas a vítima negou a oferta e não soube revelar o valor exato oferecido.

O assessor do PRB Emerson Biazon, que acompanhou Patrícia em visita a São Paulo, para encontrar com Talma Bauer, chefe de gabinete de Feliciano, informou que o valor oferecido foi de R$ 20 mil.

Segundo o Bahia Notícias, Biazon relatou à polícia que acompanhava a estudante em sua visita a São Paulo. Ele revelou que recebeu R$ 20 mil de Bauer para entregar a Patrícia, que segundo ele, aceitou receber dinheiro para inocentar Feliciano.

A estudante de jornalismo Patricia Lelis, acusa Marco Feliciano de assédio sexual
A estudante de jornalismo Patricia Lelis, acusa Marco Feliciano de assédio sexual

Ainda de acordo com o assessor, a jovem teria pedido para ele repassar o valor para a conta de um amigo em comum, para que o valor fosse repassado em parcelas mensais, de forma a não levantar suspeitas da mãe dela.

Biazon alega que recusou a proposta e que entregaria diretamente o dinheiro.

PGR abre investigação

O jornalista Lauro Jardim informou em sua coluna no jornal O Globo que Rodrigo Janot pedirá abertura de inquérito para investigar Marco Feliciano por suspeita de tentativa de estupro contra a jornalista Patrícia Lélis.

Já a coluna Radar, da revista Veja noticia que aliados evangélicos de Marcos Feliciano acreditam que ele pode até se safar na Justiça divina, mas não no Judiciário dos homens. Deputados ligado ao pastor acreditam que ele deve acabar preso, nos próximos dias, devido às acusações de tentativa de estupro.

Para piorar ainda mais a situação do deputado pastor, o grupo de hackers Anonymous fez um levantamento e divulgou “os podres” de Feliciano, que estão disponíveis NESSE LINK.

Comentários
Carregando