PT de Rondônia vai expulsar vereadora petista que denunciou corrupção em Cacoal

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Cacoal anunciou, nesta terça-feira, por meio de nota divulgada nas redes sociais, que vai expulsar de seus quadros a vereadora Maria Simões, que presidiu a CPI da Câmara responsável pelas investigações sobre corrupção na Prefeitura petista daquele município.

Na nota, o PT dá total apoio à secretária chefe de gabinete do prefeito Padre Franco Vialetto (PT), Maria Ivanir, presa desde sexta-feira na operação Detalhe da Polícia Civil e Ministério Público.

“O Partido dos Trabalhadores de Cacoal  convida todos os filiados para o ato público de apoio a companheira Maria Ivani de Araujo e a todos os companheiros envolvidos na Operação Detalhe, operação esta caracterizada claramente como perseguição política  à eficiente gestão do Partido so Trabalhadores em Cacoal”, diz a nota aloprada.

Em outro trecho, afirma: “Na oportunidade oficializaremos a expulsão da vereadora Maria Simões dos quadros do partido devido ser ela mesmo a maior protagonista desta perseguição. Na oportunidade contaremos com a ilustre presença do prefeito Francesco Vialetto”.

No facebook, a vereadora Maria Simões confirmou ter sido convocada para a reunião.

O atual presidente do PT em Rondônia é o ex-deputado federal Padre Ton (na foto no alto). Ele foi o responsável pela absolvição do ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho, preso no final de 2012 acusado de corrupção e da ex-deputada estadual petista, Epifânia Barbosa, acusada de receber propina do ex-deputado Valter Araújo (PTB) em 2011, em troca de apoio político.

simoes

 

Com informações do Tudorondonia

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário