PT está dividido sobre apoio ao PMDB na presidência do Senado

In Política
PT está dividido sobre apoio ao PMDB na presidência do Senado

Lula e Eunício defendem apoio ao PMDB para não isolar o PT; já Lindbergh e Gleisi acham que o partido não deve se associar ao governo que derrubou Dilma, ainda mais em meio a tantar medidas impopulares.

A bancada do PT no Senado está dividida nas eleições do dia 2 de fevereiro. Os parlamentares temem um isolamento ainda maior se não votarem em um senador do partido com a maior bancada na Casa, como já é tradição. O problema é que este partido hoje é o PMDB, que foi a legenda que tirou a ex-presidente Dilma Rousseff do poder.

Apoiar a candidatura do pemedebista Eunício Oliveira provocaria um desgaste com a militância e com os movimentos sociais.

De acordo com publicação do O Globo, o assunto já chegou ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, segundo petistas, defende o apoio a Eunício.

Para Lula, o PT precisa manter os seus cargos na Mesa Diretora do Senado e o comando de comissões relevantes. Lula receia repetir o erro de 2015, quando perderam lideranças ao lançar o deputado Arlindo Chinaglia à presidência da Câmara para concorrer com o então deputado Eduardo Cunha. Isso teria favorecido o impeachment de Dilma.

Os senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann, por exemplo, querem que a sigla apoie outro candidato sob o argumento de que se associar a Michel Temer neste momento em que ele promove medidas tão impopulares não seria bom para o partido.

Assim como Lula, o líder do PT, o senador Humberto Costa, defende o apoio a Eunício. “Não é questão de apoiar o PMDB, é questão de defender a proporcionalidade. O PMDB está aí pelo voto popular. Não estamos fazendo favor a eles nem eles a nós”, disse.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Recontagem no AM descobre mais 41 presos foragidos no Ano Novo

Mutirão carcerário analisa processos de 5,2 mil detentos de Manaus

Espalhe essa informação Defensora se espanta com “penas altíssimas” e casos de presos que entraram no sistema em 2014

Read More...
Nomes de Nelson Jobim e FHC voltam a circular como alternativa a Temer

Nelson Jobim: Biografia individual se faz na política, não no Judiciário

Espalhe essa informação Segundo Jobim, “tudo isso faz parte daquilo que hoje nós chamaríamos de ação-espetáculo” O ex-ministro e

Read More...
Após delação, assessor especial de Temer pede demissão

‘Aceito acareação com quem quer que seja’, reage Yunes a operador de Cunha

Espalhe essa informação “Aceito acareação com quem quer que seja ratificando todos os dizeres do meu depoimento”, disse Yunes

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu