fbpx
PTB desiste de Cristiane Brasil para comandar o Ministério do Trabalho

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, confirmou, na tarde desta terça-feira (20), que a legenda desistiu do nome da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) para assumir o ministério do Trabalho. Em sua conta no Twitter, o presidente da sigla e pai da deputada afirmou que “a decisão do partido visa proteger a integridade de Cristiane e não deixar parada a administração do ministério”.

Cristiane havia sido nomeada ao ministério no dia 3 de janeiro, mas sua posse foi barrada na Justiça após a revelação de que a deputada havia sido processada e condenada na Justiça do Trabalho. No início deste mês, a deputada havia pedido pressa à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, para que sua posse fosse liberada. Ela afirmou ser “ficha limpa” e vítima de uma “campanha difamatória” que tinha como objetivo impedi-la de tomar posse no Ministério do Trabalho.

Mas a argumentação não foi suficiente para a ministra decidir em favor de Cristiane, monocraticamente. Cármen Lúcia decidiu anular a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que havia liberado a posse da deputada e decidiu submeter a questão ao plenário do STF, mas sem marcar data para tal deliberação. Embora defenda não haver impedimento para sua posse, Cristiane Brasil enfrenta, como recentemente mostrou reportagem o jornal O Estado de S. Paulo, apuração sobre suspeita de crime de associação ao tráfico por terem pagado a traficantes para fazer campanhas em morros.

Tropeços

Além das condenações na Justiça Trabalhista e da grande polêmica criada em torno da indicação, Cristiane também tropeça nas próprias aparições em público. Em vídeo gravado em um barco, no final de janeiro, a deputada se juntou a amigos para minimizar o papel da Justiça trabalhista ao alegar que não devia nada aos funcionários que a processaram. Além do embaraço geral entre seus pares, o filmete rendeu uma reprimenda do próprio pai de Cristiane. “Uma figura pública deve se portar como uma figura pública”, reclamou Roberto Jefferson.

As informações são do Congressoemfoco – Leia na íntegra

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta