Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Quais os perigos de deixar o cachorro “dar um beijo”?

0

A lambida do seu amigo de quatro patas pode transmitir mais do que amor

Num artigo para o Hippocratic Post, John Oxford, docente de virologia e bacteriologia e investigador da Universidade de Queen Mary, em Londres, destacou: “Não é apenas o que têm na saliva. Os cães passam metade do tempo com o focinho em lugares sujos ou a cheirar dejetos de outros animais, cheios de bactérias, vírus e germes”.

Recentemente, como reporta a revista Veja, uma britânica de 70 anos precisou ser internada após ser lambida na boca pelo seu cão. De acordo com o relato publicado na revista científica BMJ, a idosa desenvolveu uma grave infecção provocada pela bactéria Capnocytophaga canimorsus, presente na boca de cães e gatos.

A idosa apresentava sinais de confusão mental, dor de cabeça, diarreia, calafrios e febre, sendo que os exames apontaram uma lesão renal aguda e infecção generalizada, seguida de uma coagulação intravascular, função hepática reduzida e insuficiência respiratória.

James Wilson, do hospital da Universidade College London, na Inglaterra, destaca que os médicos não encontraram arranhões ou mordidas – formas comuns da infecção – o que demonstra que infecções graves podem ocorrer mesmo com a ausência de mordidelas e arranhões óbvios.

Veja uma lista de doenças que podem ser passadas pelo animal apresentada no jornal Daily Mail:

Tuberculose
Se os cães entram em contato com uma vaca infectada, entram em uma briga com um animal doente ou comem carne com a bactéria, podem desenvolver tuberculose e passar a doença pulmonar potencialmente mortal para as pessoas. Os riscos são pequenos, mas reais.

Lombriga
Dois terços dos playgrounds públicos estão contaminados com os ovos da lombriga, um parasita intestinal. Os ovos são eliminados por cães infectados e sobrevivem por meses no terreno. Se você mexe no jardim sem luvas ou come alimentos que caíram no chão, os ovos podem acabar dentro de você. As larvas podem migrar para pulmões, fígado, olhos e cérebro, podendo causar danos internos graves e até mesmo cegueira.

Tênia
A tênia é um parasita, cresce no intestino e vive cerca de 20 anos.  Enquanto a maioria é inofensiva, há uma espécie potencialmente mortal, chamada echinococcus. Após os cães comerem ovos de echinococcus em carcaças de animais infectados, os vermes crescem até a idade adulta em suas entranhas e eliminam os ovos nas fezes do cão. O pet, por sua vez, espalha os ovos para as pessoas lambendo seus rostos depois de se limparem com a língua. Nos humanos, essa tênia causa cistos no fígado, pulmões ou cérebro, que podem crescer e levar à falência de órgãos e até morte. “Você pode evitar tênia pelo uso regular de vermífugos nos cães”, ensinou a veterinária Caroline Reay, do Blue Cross.

Intoxicação alimentar
Os cães não usam apenas a língua para se limpar, mas também colocam o focinho em qualquer coisa fedorenta, incluindo aves mortas, carcaças de animais e fezes. Como resultado, suas bocas podem ser um terreno fértil para Salmonella e Campylobacter, bactérias que causam intoxicação alimentar, que pode ser perigosa para as crianças e os idosos.

Parasita
Enquanto cães desfrutam de um mergulho no rio ou lado, podem pegar o parasita que causa a criptosporidiose. Uma vez ingerido, os parasitas vão para o intestino, causando diarreia, cólica e febre. Embora as chances de um cão passar a doença para os humanos seja pequena, é algo para se pensar na próxima vez que ele for lamber seu rosto.

Sarna
Se a sua pele está coçando e seu cão está sofrendo de sarna, ele pode ter transmitido o problema. Os ácaros que causam a sarna canina são diferentes da variedade humana e não podem se reproduzir nas pessoas, mas podem causar desconforto temporário e irritação por alguns dias. “É facilmente prevenida em cães com um tratamento mensal”, disse a veterinária Vicki Larkham, do People’s Dispensary for Sick Animals.

Leptospirose
É frequentemente transmitida por resíduos de ratos em canais e rios. Se o seu cão bebe água infectada, pode pegar a doença e sua urina se torna infecciosa. Em nove a cada 10 casos humanos, a doença causa sintomas gripais leves, como dor de cabeça, dores e calafrios. No entanto, em 10% pode ser uma ameaça à vida, levando a uma hemorragia interna e à falência de órgãos. “É completamente evitável com a vacinação”, alertou a veterinária Vicki.

Micose
Micose é uma infecção fúngica mais comumente apanhada de gatos, mas pode ser transmitida por cães e provoca uma erupção vermelha na pele. É altamente contagiosa, podendo pegar simplesmente ao afagar o seu animal de estimação, mas não é grave e pode ser tratada com cremes. As crianças são particularmente vulneráveis à infecção. “Os animais podem ter micose sem necessariamente ter quaisquer sintomas”, comentou a veterinária Caroline.

Comentários
Carregando