Quase 20% dos municípios entram 2017 em estado de emergência

Com decretos de anormalidade, prefeitos reduzem burocracias e têm direito a verbas federais exclusivas para emergências, sejam elas quais forem.

999 municípios, dos 5.570 existentes no país, vão virar o ano com decretos de anormalidade reconhecidos pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Isto quer dizer que quase 20% dos prefeitos eleitos vão assumir cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública, segundo levantamento feito pelo site “UOL”.

Com os decretos de anormalidade, as burocracias são reduzidas e as prefeituras passam a ter direito a verbas federais exclusivas para emergências, sejam elas quais forem. Eles têm validade de 90 ou 180 dias, e devem vencer entre janeiro e abril do ano que vem.

Ainda segundo o site, o estado com mais municípios afetados é o Rio Grande do Norte, onde 153 das 167 cidades estão em emergência por conta de forte estiagem que atinge a região.

Já a Paraíba possui o maior número de prefeituras afetadas: 197, também por conta da estiagem.

Quase metade dos municípios da região nordeste, 853 dos 1.794, entrarão 2017 em emergência por conta da seca.

No Rio Grande do Sul, o estado de emergência é exatamente o contrário. Há 35 municípios com excesso de chuva, granizo, inundações, deslizamentos, ressaca e vendaval.

Confira o número de municípios em estado de emergência por estado:

Paraíba – 197

Rio Grande do Norte – 153

Pernambuco – 124

Piauí – 124

Ceará – 111

Bahia – 69

Minas Gerais – 62

Alagoas – 40

Rio Grande do Sul – 35

Sergipe – 19

Maranhão – 16

Acre – 9

Mato Grosso – 9

Espírito Santo – 8

Santa Catarina – 7

Amazonas – 7

Paraná – 5

Tocantins – 2

Rio de Janeiro – 1

Mato Grosso do Sul – 1

Fonte: noticiasaominuto

Deixe uma resposta