Quem liga para a posição de Acir?

Senador fez campanha para a presidente, aprovou as pedaladas e agora quer apoiar impeachment, e dai?

A posição do senador Acir Gurgacz em relação ao impeachment de Dilma Roussef pode ser comparada a visita de Barack Obama à Cuba, ou seja, não faz diferença alguma. Gurgacz fez campanha aberta pela reeleição de Dilma, chegou a discutir com pessoas próximas que recomendavam um distanciamento do PT, mas ele sempre flertou com os petistas. Foi assim quando foi eleito prefeito (seu vice era do PT e assumiu quando ele renunciou), foi assim quando disputou o Senado (e foi derrotado por Expedito Júnior, cujo mandato tomou no tapetão) e continuou PT quando assumiu a relatoria das pedaladas fiscais e as aprovou, indo contra a determinação do Tribunal de Contas da União.

Mas isso não seria um indicativo de que seu afastamento é importante? Não, não é. Acir estava na fila do gargarejo na posse de Lula na Casa Civil, e por isso a população de Ji-Paraná revoltada, fez espontaneamente, um buzinaço na frente de sua casa. Isso deixou o senador preocupado, afinal, foi literalmente no seu reduto, na sua própria casa. Com a imagem esculachada, deu uma declaração à revista Época alegando “ser favorável ao impeachment” e que “vai defender o desembarque do PDT da base aliada”. Foguetório. Nada vai mudar. Igual a visita de Obama à Cuba. Quem viu o discurso do presidente americano entendeu bem o recado quando ele disse que “o embargo vai acabar”, mas que só não sabe quando. Assim é Acir, um dia ele vai acordar de verdade para o PT, só não se sabe quando.

Alan Alex é editor de Painel Político

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário