fbpx
Reativada após massacre, Vidal Pessoa recebe vistoria da OAB e MP

Uma semana após massacre, 4 presos foram na unidade prisional.
Cadeia foi reativada para abrigar presos ameaçados em Manaus.

A Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde quatro presos foram mortos e sete ficaram no dia 8 deste mês, recebe na manhã desta terça-feira (24) uma visita de membros do Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM). A unidade prisional, localizada no Centro de Manaus, foi reativada para receber presos ameaçados de morte após o massacre de 64 presidiários no começo do ano.

O novo secretário da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), tenente-coronel Cleitman Rabelo, também acompanhou a visita. Na manhã desta terça, homens do Choque ocupavam pátio da Cadeia Pública.

Reativação de cadeia

A Cadeia Vidal Pessoa foi reaberta no dia 2 de janeiro para a acomodação de presos ameaçados de morte pela facção criminosa Família do Norte (FDN), apontada como responsável pelas 56 mortes no Compaj.

Desde então, a Vidal Pessoa recebeu 284 presos transferidos de presídios do Amazonas por “medida de segurança”. A intenção do governo era isolar os membros da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) dos presos da FDN.

No entanto, mesmo lá eles ainda não estavam seguros. Dias depois, uma outra rebelião que ocorreu na Cadeia Vidal Pessoa no domingo (8) deixou quatro presos mortos e sete feridos.

Apos a transferência, 20 presos levados à Vidal chegaram a ser levados para Unidade Prisional de Itacoatiara, a 270 Km da capital em razão de riscos de mortes.

Na segunda (9), eles foram levados para Itacoatiara porque o grupo estaria recebendo ameaças, segundo a Secretaria Adjunta de Operações (Seaop). No entanto, a estrutura esperada para abrigar os internos na unidade de Itacoatiara não foi constatada.

A cadeia no Centro de Manaus estava desativada desde outubro de 2016 por recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por falta de infraestrutura para abrigar os presos.

Exoneração

Após mortes e fugas no sistema prisional, o Governo do Amazonas anunciou no dia 13 mudança na gestão da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). O tenente-coronel da Polícia Militar, Cleitman Rabelo Coelho, assumiu o cargo substituindo o agente da Polícia Federal, Pedro Florencio. Agente da Polícia Federal, ele estava no comando da Seap desde outubro de 2015.

Fonte: g1.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta