“Reforma administrativa” de Confúcio vai indicar seu futuro político

No final do ano passado, os deputados estaduais se reuniram com o governador Confúcio Moura (MDB) e exigiram que ele exonerasse, a partir de dezembro de 2017, os secretários que estavam com intenções de disputar cargos eletivos. A idéia, claro, é reduzir as chances da concorrência, mas deram “ar de moralidade” à coisa divulgando que se tratava de uma iniciativa do próprio Confúcio para evitar “abusos”.

Como já é de conhecimento público, o governador vem articulando, junto com um pequeno círculo, sua candidatura ao Senado. A idéia é convencer o eleitorado, e parte de seus aliados, que “a candidatura é irreversível porque o povo quer”. Com isso, Confúcio se livra de dois problemas, Valdir Raupp e Maurão de Carvalho. O primeiro, a quem Moura fez juras de fidelidade e garantiu por diversas vezes que não seria candidato para “não atrapalhar o amigo”. Já Maurão fica numa situação também desconfortável, afinal sempre acreditou que tinha o “apoio total e irrestrito” do governador. Não tem. Para Confúcio o melhor nome seria de Wagner de Freitas, atual secretário de Finanças.

Uma coisa, porém, ele já está cumprindo, a reforma administrativa e a exoneração dos secretários-pré candidatos. Todos os cargos de primeiro escalão estão vagos atualmente e os novos nomes que forem assumindo vão indicar os rumos que Confúcio vai tomar, se de fato ele sai ao Senado ou permanece até o fim do governo.

E o termômetro são os cargos-chave, como Finanças, Educação, Segurança e Saúde. A previsão é que se mantenham Sefin e Procuradoria. Os deputados estaduais já estão no encalço de Confúcio para tentar indicar alguns nomes, mas, ao menos por enquanto, sem sucesso.

Daniel Pereira, por sua vez, prefere não interferir nas decisões de Confúcio. Havia uma reunião agendada para a última segunda-feira onde possivelmente tratariam da reforma, mas em decorrência do falecimento da filha do deputado estadual Edson Martins (Confúcio foi dar apoio à família) a conversa foi adiada.

Confúcio certamente deverá pedir algumas sugestões à Pereira, e a partir dessa conversa devem sair algumas definições. É aguardar o desfecho.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário