fbpx
Resenha Política – Robson Oliveira

FENÔMENO

Mesmo os mais exaltados e ferrenhos inimigos do Partido dos Trabalhadores não podem negar que o resultado da primeira pesquisa nacional do Ibope revela Lula como um fenômeno eleitoral. Mesmo preso, a maioria dos eleitores pesquisados vota no ex-presidente. Embora este instituto tenha usado nas eleições passadas a margem de erro de três por cento, inovou nesta pesquisa ao aumentar para cinco. Quem tem intimidade com pesquisa sabe que esta mudança pode ter sido para evitar anunciar que Lula ganharia no primeiro turno. Um dedução fácil já que outros institutos apuraram números que indicam nessa direção. Lula é um fenômeno eleitoral. Queiram ou não seus desafetos.

MICO

A grande preocupação dos partidários de Bolsonaro é que o candidato do PSL é ruim de debate e não fala nada com nada. Cresceu antes da campanha por afiar a língua contra o petismo e criticar as chamadas minorias. O discurso de intolerância do ex-militar não é muito diferente dos candidatos de direita que disputaram recentemente as eleições em muitos países europeus e que arregimentaram muitas pessoas, mas quando as eleições começaram pra valer perderam. Bolsonaro repete o mesmo modelo europeu da intolerância sem apresentar uma proposta nova para melhorar a vida das pessoas. Lula também não apresenta nada de novo, aliás, preso não tem como apresentar nada, mas mostra força política devido aos projetos sociais que implementou em seu governo, enquanto seus adversários viram mico e não falam nada que seja assimilado pelo eleitor incauto.

CORRUPÇÃO

Quem apostou que o tema da corrupção fosse a principal pauta propulsora destas eleições e se preparou para um discurso monocórdico sem propor algo que melhore as vida das pessoas começa a perceber que errou, embora o tema cujas entranhas políticas foram exposta ao país seja necessário debater. A disparada de Lula – político que mais foi exposto pela mídia nacional – nas pesquisas e o número alto de parlamentares que devem retornar ao Congresso Nacional comprovam que o eleitor na hora de votar leva em conta as suas próprias ponderações sobre realidade do que as avaliações dos chamados formadores de opinião. Afinal, informação hoje todos têm na palma das mãos (smartphone) e mensuram o que querem, o que ninguém pode alegar é desconhecimento da realidade.

EXPECTATIVA

Já não causa tanto furor como antigamente o resultado das pesquisas do Ibope em Rondônia devido aos constantes erros por estas bandas, a exemplo do que ocorreu nas eleições municipais quando colocaram Dr. Hildon na rabeira. Porém, todos os comitês eleitorais torcem para que seus candidatos estejam bem postados nesta pesquisa devido à exposição em horário nobre pela Rede Globo. Hoje, com a profissionalização das campanhas, todos os candidatos monitoram o eleitor com as própria pesquisas e sabem para onde o vento empurra a biruta. Contudo, o Ibope ainda provoca expectativa. Nas próximas horas a TV RO divulga os primeiros números oficiais dos candidatos a governador e senador.

DEBATE

O Sistema Meridional de TV (SBT) e a TV RO já marcaram os seus debates entre os candidatos ao Governo de Rondônia neste primeiro turno. O primeiro será dia 18 setembro, às 22 horas, com todos os noves candidatos. O segundo, da TV RO, será dia 2 de outubro, 21 horas, com os cinco primeiros candidatos mais bem postados nas pesquisas do Ibope. Os demais candidatos serão compensados com espaço nos telejornais da vênus platinada rondoniense.

FICHAS SUJAS

Os candidatos que tiveram requeridos os respectivos pedidos de impugnações deverão começar a ser julgados na próxima semana, pelo Tribunal Regional de Rondônia. Há inúmeros candidatos que não passam na malha da lei da Ficha Limpa, mas entre eles, há muitos que terão seus registros deferidos. Mesmo aparecendo em listas com condenações.

CASSAÇÃO

As atenções relativas às cassações dos registros estão voltadas para o julgamento do candidato a governador pelo PDT, Acir Gurgacz. É possível que a corte mantenha a impugnação, visto que o senador sofreu uma condenação criminal no STF. Contudo, ele permanece na campanha sem a necessidade de uma liminar, bastando, para tanto, a interposição de um simples recurso eleitoral já que a impugnação não possui caráter executório imediato. Na hipótese de não obter registro perante o TSE seu nome sequer constará nas urnas.

IMPUGNAÇÃO

Carlos Magno, candidato a senador pelo PP, também teve seu pedido de registro contestado pelo Ministério Público Eleitoral. Consta contra o ex-deputado federal e estadual uma condenação em que foi denunciado por envolvimento num suposto esquema da Assembléia Legislativa – famosa operação de combate à gafanhotagem na folha de pagamento do poder. Apesar de vários deputados estaduais da época terem sido condenados e estarem pagando pena pelos mesmos delitos que Carlos Magno, é possível que o pepista escape por filigramas processuais já que um HC interposto pela defesa teria extinguido a punibilidade. Uma tese que a defesa espera que seja acatada pelo TRE.

GIGANTES

A disputa pelas duas vagas ao Senado em Rondônia será uma guerra de titãs. O quadro indica que as vagas serão definidas até o último dia das eleições, visto que não há neste momento um nome que tenha se deslocado em relação aos concorrentes.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta