ComportamentoDestaqueSociedade

Como a idade afeta o apetite e nossa relação com a comida

0

Com o passar do tempo, nosso relacionamento com a comida vai mudando – e as escolhas que fazemos têm impacto direto na saúde

Você come para viver ou vive para comer? Temos uma relação complexa com os alimentos, influenciada por seu custo, disponibilidade e até pela pressão dos conhecidos.

Ainda que haja diferenças de uma pessoa para outra, algo que compartilhamos é o apetite, nossa vontade de comer. A fome – sensação provocada pelo nosso corpo quando ele necessita de alimento – é uma parte do dele, mas não é o único fator.

Afinal, também comemos quando não estamos com fome e somos capazes de pular uma refeição mesmo quando o estômago está roncando.

Uma pesquisa recente destacou que a abundância de referências a comida – aromas, sons, propagandas – ao nosso redor é uma das principais causas da ingestão excessiva de alimentos.

O apetite tampouco é permanente – ele muda no decorrer da vida, à medida que envelhecemos. Há “sete idades” do apetite. E uma melhor compreensão de cada fase poderia ajudar a desenvolver novas maneiras de lidar tanto com a ingestão insuficiente quanto em excesso de alimentos – assim como com suas consequências para a saúde, como a subnutrição e a obesidade.

A primeira década

Na primeira infância, o corpo passa por um crescimento rápido. O comportamento alimentar desenvolvido no início da vida pode se prolongar até a idade adulta, levando uma criança acima do peso a se tornar um adulto obeso.

Para que isso não aconteça, as crianças também devem experimentar algum controle, principalmente em relação ao tamanho das porções. Ser forçado a “limpar o prato” pelos pais, pode aos poucos deixar de se orientar por seu apetite e pela sensação de fome e ser estimulado o comer excessivamente mais adiante.

Nesse sentido, há um clamor social crescente para que os governos protejam as crianças pequenas das propagandas de junk food (aquela com alto teor calórico, mas com níveis reduzidos de nutrientes) – não apenas na televisão, mas em aplicativos, redes sociais e canais de vídeo. Como os anúncios incentivam o consumo, podem contribuir para a obesidade infantil.

Uma estratégia de educação alimentar em que os pequenos são estimulados a experimentar pode ajudá-los a conhecer alimentos aos quais não estão familiarizados, mas que são importantes, como verduras e legumes.

A segunda década, dos 10 aos 20 anos

Na adolescência, o aumento do apetite e da estatura, impulsionado pelos hormônios, marca a chegada da puberdade. O modo como o adolescente vai lidar com a alimentação durante essa fase crítica moldará seu estilo de vida nos anos seguintes.

Isso significa que as decisões dos jovens em relação à dieta estão intrinsecamente ligadas à saúde das futuras gerações, de quem mais tarde se tornarão pais. Infelizmente, sem receber orientação, alguns adolescentes acabam adotando hábitos e preferências alimentares pouco saudáveis.

As mulheres, em geral, são mais propensas a sofrerem de déficit nutricional do que os rapazes, em função de seu sistema reprodutivo. Adolescentes que engravidam também correm mais risco, uma vez que o desenvolvimento do feto compete com o crescimento do corpo da mãe, que ainda está em formação.

A terceira década, dos 20 aos 30 anos

Mudanças no estilo de vida – como entrar na faculdade, casar ou ter filhos – podem favorecer o ganho de peso nesta fase. E, uma vez acumulada, a gordura corporal pode ser difícil de perder.

O corpo envia sinais fortes de apetite quando ingerimos menos calorias do que ele necessita, mas os avisos para evitar excessos são mais fracos, o que pode levar a um ciclo de consumo exagerado. Existem ainda muitos fatores fisiológicos e psicológicos que dificultam manter uma alimentação moderada ao longo do tempo.

Painel Político
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Festival Internacional de Compositoras – Sonora PVH divulga as artistas que participarão desta primeira edição

Previous article

Pó de macaco: A droga que faz as pessoas pularem de prédios

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *