Ricardo Barros deixará Ministério da Saúde para disputar eleições

Vice-governador da Bahia, João Leão (PP-BA), é cotado para assumir a pasta

O prazo para os ministros que disputarão as eleições deste ano deixarem os atuais cargos é dia 7 de abril. Entretanto, o atual titular do Ministério da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), anunciou que não comandará mais a pasta após o dia 28 de março. As informações são do Estado de São Paulo.

Segundo a reportagem, o político tentará reeleger-se deputado federal. Assim, pretende retomar o mandato parlamentar e assumir a presidência da Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional, responsável por analisar a proposta orçamentária da União para 2019.

A expectativa, segundo o jornal, é de que a relatoria do colegiado fique com o senador Romero Jucá (MDB-RR), líder do governo no Senado. “Saio até o dia da instalação da CMO”, afirmou o ministro da Saúde ao Estadão.

Segundo Ricardo Barros, o PP pretende indicar algum “amigo” para dar continuidade aos trabalhos no Ministério da Saúde. Entretanto, ele não quis falar nomes para não “expor” os possíveis cotados, afirma o jornal.
“Queremos nomear amigos, logo não deixaremos no sereno. Nem um dia. Não está decidido e não queremos expor ninguém”, declarou o ministro, que assumiu o posto em maio de 2016, logo após o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

De acordo com o Estado de São Paulo, entre os cotados para substituir Ricardo Barros estaria o vice-governador da Bahia, João Leão (PP-BA). Ainda segundo a reportagem, a entrada de Leão no ministério incentivaria a sigla a romper com o atual governador do estado, Rui Costa (PT), candidato à reeleição. Para assumir o ministério, o vice-governador teria que desistir de disputar o pleito de outubro deste ano.

Fonte: metropoles

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta