Rodrigo Janot reforça pedido de prisão de Aécio ao STF

Rodrigo Janot reforçou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o pedido de prisão do senador afastado Aécio Neves (PSDB). Para o procurador geral da República, a detenção preventiva do tucano é imprescindível para a garantia da ordem pública. Ele também solicitou a manutenção das prisões da irmã de Aécio, Andrea Neves, do primo, Frederico Pacheco, e do assessor parlamentar e cunhado do senador Zeze Perrella (PMDB-MG), Mendherson Souza Lima. As informações foram publicada na noite desta sexta-feira (9) pelo portal “G1”.

De acordo com o procurador geral, “são muitos os precedentes do Supremo Tribunal Federal que chancelam o uso excepcional da prisão preventiva para impedir que o investigado, acusado ou sentenciado torne a praticar certos delitos enquanto responde a inquérito ou processo criminal, desde que haja prova concreta do risco correspondente”.

Ele afirma ainda que, “não bastasse toda essa narrativa, vislumbra-se grande probabilidade de que a lavagem de parte dos R$ 2 milhões recebidos da propina paga recentemente pela J&F com participação direta de todos os requeridos ainda esteja em curso”.

“O contexto narrado evidencia haver, no caso concreto, habitualidade criminosa de longa data – verdadeiro profissionalismo dos requeridos – no cometimento de crimes de corrupção passiva e de lavagem de capitais, circunstância essa que acentua sua gravidade e reforça a necessidade da prisão preventiva”, argumenta.

O ministro Edson Fachin negou pedido de prisão de Aécio Neves no dia 18 de maio. A PGR apresentou recurso, que ainda será analisado pelo plenário do STF. O advogado Alberto Toron, que faz a defesa de Aécio Neves, informou que aguardaria ser intimado sobre o pedido da PGR “para apresentar suas contrarrazões, oportunidade em que demonstrará a impropriedade” do pedido.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta