• Homepage
  • >
  • Política
  • >
  • Romero Jucá é xingado de “ladrão” e “vagabundo” em aeroporto e deixa local às pressas; veja

Romero Jucá é xingado de “ladrão” e “vagabundo” em aeroporto e deixa local às pressas; veja

Lula dispensa Jucá e militares de testemunhar em processo da Lava-Jato

Incidente aconteceu nesta quinta (16) em Boa Vista

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) foi cercado e xingado no aeroporto de Boa Vista, em Roraima, nesta quinta (16). Ao desembarcar, ouvem-se gritos de “vai pra cadeia”, “ladrão” e “vagabundo”. Romero deixou o local às pressas. As informações são da coluna Radar, da revista Veja.

Esta semana Romero Jucá (RR), alvo da operação Lava Jato, apresentou uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para alterar o texto da Constituição que diz que o presidente da República não pode responder por fatos anteriores ao mandato. Com o apoio de 28 senadores, a PEC estende esse veto a todos os ocupantes de cargos da linha sucessória: vice-presidente da República e presidentes do Legislativo e do Judiciário. Com isso, os comandantes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), não poderiam, por exemplo, ser investigados por suposto recebimento de propina no esquema apurado pela operação Lava Jato.

Jucá começou a coletar as assinaturas nessa terça-feira (14), durante a primeira sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), presidida pelo senador Edison Lobão (PMDB-MA). Como a base do governo tem ampla maioria nas duas Casas, a proposta pode tramitar em regime de urgência.

Essa vedação constitucional será usada pela defesa do presidente Michel Temer no julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da cassação da chapa que ele compôs com Dilma Rousseff, e, se a PEC de Jucá for aprovada, deverá blindar também Rodrigo Maia e Eunício Oliveira.

Jucá disse que não é possível que um presidente de Poder seja “sacado” do cargo pela vontade de um procurador, mas nega que a PEC seja um movimento para atrapalhar as investigações da Lava Jato.

Renan. Réu na Lava Jato, Renan Calheiros (PMDB-AL) obteve permissão do STF para continuar presidente do Senado, no ano passado, mas sem poder assumir eventual vacância da Presidência da República.

ASSINARAM A LISTA

Romero Jucá (PMDB-RR)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Marta Suplicy (PMDB-SP)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
Zezé Perrella (PMDB-MG)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Eduardo Braga (PMDB-AM)
Hélio José (PMDB-DF)
Garibaldi Alves (PMDB-RN)
Aécio Neves (PSDB-MG)
Aloysio Nunes (PSDB-SP)
José Aníbal (PSDB-SP)
Eduardo Amorim (PSDB-SE)
Cássio C. Lima (PSDB-PB)
Flexa Ribeiro (PSDB-PB)
Benedito de Lira (PP-AL)
Roberto Muniz (PP-BA)
Benedito de Lira (PP-AL)
Lasier Martins (PSD-RS)
Otto Alencar (PSD-BA)
Sérgio Petecão (PSD-AC)
Fernando Bezerra (PSB-PE)
Roberto Rocha (PSB-MA)
Antonio Carlos Valadares (PSB-BA)
Davi Alcolumbre (DEM-AP)
Maria C. Alves (DEM-SE)
Eduardo Lopes (PRB-RJ)
Pedro Chaves (PSC-MS)

 

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília