Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Rondônia recebe mostra Iconoclássicos

0

Entre os dias 10 e 14 de dezembro, o SESC Esplanada, em Porto Velho, recebe a Mostra ICONOCLASSICOS, uma série de cinco filmes sobre importantes artistas brasileiros contemporâneos e referência para as novas gerações, produzida pelo Itaú Cultural. As sessões acontecem às 19h e os ingressos são gratuitos.

O ciclo abre na terça-feira (dia 10) com Daquele Instante em Diante sobre o músico Itamar Assumpção, dirigido por Rogério Velloso, e segue com Ex isto, filme de Cao Guimarães livremente inspirado na obra Catatau, do poeta Paulo Leminski; Assim É, Se Lhe Parece, em que o universo criativo de Nelson Leirner é capturado por Carla Gallo; EVOÉ! Retrato de um Antropófago, documentário sobre o dramaturgo Zé Celso, dirigido por Tadeu Jungle e Elaine Cesar. O filme Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz, um retrato de Rogério Sganzerla sob o olhar de Joel Pizzini, encerra a programação no sábado (14).

Com exceção de Ex isto, os filmes trafegam pelo gênero documentário. Cada um é recheado de informações – resultado de entrevistas com os protagonistas vivos, depoimentos de familiares e amigos –, e farto material, localizado em arquivos e álbuns da família. Veja as sinopses abaixo.

ICONOCLASSICOS dá continuidade à aposta do Itaú Cultural no audiovisual. Assim, o instituto convidou seis diretores para registrar a vida e a obra desses iconoclastas e lhes deu liberdade para criar seus próprios roteiros os cineastas. Escolhidos entre os que mais se destacam no meio cinematográfico brasileiro, eles imprimiram, assim, qualidade autoral às obras.

Por sua vez, os artistas homenageados são referências importantes no contexto da produção cultural brasileira e as suas obras e trajetória um legado para as novas gerações. É um reconhecimento da importância da memória cultural do país e do cumprimento da vocação do Itaú Cultural na busca para preservar esse patrimônio imaterial.

SINOPSES:

Daquele Instante em Diante – (indicado para maiores de 12 anos)
Itamar Assumpção por Rogério Velloso (110 min, 2011)
O Nego Dito Itamar Assumpção em um documentário que percorre a trajetória musical, desde os anos da vanguarda paulista na década de 1980 até a morte aos 53 anos. Com depoimentos daqueles que conviveram com o artista, o filme reúne uma seleção de imagens raras garimpadas em acervos e arquivos particulares, mostrando a presença antológica nos palcos e os momentos de intimidade entre os amigos e familiares.

Ex isto – (indicado para maiores de 14 anos)
Livre adaptação de Catatau de Paulo Leminski, por Cao Guimarães (86 min., 2010)

Um filme livremente inspirado na obra Catatau, de Paulo Leminski. O poeta imaginou uma hipótese histórica: – E se René Descartes tivesse vindo ao Brasil com Maurício de Nassau? Interpretado por João Miguel, o personagem envereda-se pelos trópicos, selvagem e contemporâneo, sob o efeito de ervas alucinógenas, investigando questões da geometria e da ótica diante de um mundo absolutamente estranho.

Assim É, Se Lhe Parece-(indicado para maiores de 12 anos)
Nelson Leirner por Carla Gallo (75 min, 2011)
O artista plástico Nelson Leirner revela-se neste documentário despojado da rotina e intimidade de um criador iconoclasta. “Eu não queria ser artista, eu não queria ser nada” afirma ironicamente ao relembrar sua trajetória. Avesso à formação e aos preceitos tradicionais das academias de arte, se apropriou com liberdade e sem preconceitos das informações e ferramentas que lhe serviram para a criação artística.

EVOÉ! Retrato de um Antropófago – (indicado para maiores de 16 anos)
Zé Celso por Tadeu Jungle e Elaine Cesar (104 minutos, 2011)
Um filme que mistura de forma labiríntica depoimentos recentes e imagens históricas da carreira do o diretor, ator e dramaturgo Zé Celso, do Teatro Oficina. O documentário adquiriu o seu verbo principal em quatro viagens a pontos chave da trajetória do Zé: Sertão da Bahia, Praia de Cururipe em Alagoas (onde o Bispo Sardinha foi devorado), Epidaurus e Atenas, na Grécia e o apartamento de São Paulo.  Com acesso livre ao infindável e sempre crescente arquivo de imagens e sons do Grupo Oficina, misturados com imagens contemporâneas, constrói-se aqui uma visão muito particular de uma das maiores personalidades das artes do Brasil de todos os tempos. O filme pode ser exibido de forma cíclica, pois não tem um começo e com certeza nunca terá fim.

Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz- (indicado para maiores de 14 anos)
Rogério Sganzerla por Joel Pizzini (90 min, 2012)
Mr. Sganzerla é um filme ensaio que recria o ideário do cineasta Rogério Sganzerla, através dos signos recorrentes em sua filmografia: Orson Welles, Noel Rosa, Jimi Hendrix e Oswald de Andrade. O método de criação, a musicalidade do olhar, o estilo inovador na montagem, o duo com Helena Ignez que revolucionou a miseenscène no cinema, a parceria com Júlio Bressane na produtora Belair e a atitude iconoclasta do diretor atravessam o filme numa linguagem que se contamina com a dicção vertiginosa do artista. Narrado em primeira pessoa, a partir de imagens raras e situações encenadas com personagens-chave da obra, Mr. Sganzerla revela a cosmovisão do autor catarinense, refletindo sobre o percurso inventivo, desde os clássicos O Bandido da Luz Vermelha e A Mulher de Todos até a tetralogia que compôs sobre a passagem de Orson Welles pelo Brasil.

SERVIÇO
Mostra ICONOCLÁSSICOS
Dia 10, terça-feira – Daquele Instante em Diante
Dia 11, quarta-feira – Ex isto
Dia 12, quinta-feira – Assim É, Se lhe parece
Dia 13, sexta-feira – Evoé! – Retrato de um Antropólogo
Dia 14, sábado – Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz

Comentários
Carregando