Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Salário mínimo será de R$ 790 a partir de janeiro

0

O salário mínimo do ano que vem será de R$ 790. A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso aprovou novo valor para 2015, que beneficiará 48 milhões de pessoas que têm renda vinculada ao piso nacional, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Entre eles, mais de 21 milhões de aposentados e pensionistas do INSS que ganham o mínimo. O aumento será de 9,11% sobre R$ 740.

Inicialmente, o salário seria de R$ 788,06, mas o relator-geral do Orçamento, senador Romero Jucá (PMDB-RR), arredondou para R$790, para facilitar a vida de empresas e funcionários na hora do pagamento. A matéria segue à votação em plenário do Congresso, o que deve ocorrer em fevereiro, quando serão retomadas as atividades parlamentares.

Já os demais 9,2 milhões de segurados do INSS que recebem acima do piso terão apenas a correção pela inflação. Por lei, o governo usa o INPC como índice para reajustar esses benefícios. Nos últimos 12 meses até novembro, o indicador bateu 6,33%.

O governo tem usado fórmula que garante aumento real para o piso. O cálculo leva em conta a inflação do ano anterior mais a variação do PIB de dois anos anteriores. Segundo o Dieese, o mínimo subiu de R$260, em maio de 2004, para R$724, em janeiro deste ano, numa alta de 178,46%. Descontando a inflação do período, o ganho real vai ser superior a 72%.

Aumento também para deputados

Na mesma proposta aprovada pela CMO foram incluídos pelos parlamentares R$ 900 milhões para garantir o aumento de 26,21% a deputados e senadores que passarão a receber R$33,7 mil por mês. A medida também prevê reajustes dos salários da presidenta Dilma, dos ministros de Estado, que passam a ganhar R$ 30,9 mil, e dos magistrados do Supremo Tribunal Federal (STF) e o procurador-geral da República que terão rendimentos de R$ 33,7 mil por mês.

O aposentado Pedro de Oliveira, 73 anos, considerou desproporcional os valores pagos aos segurados do INSS e políticos. “A gente trabalha por tantos anos para receber tão pouco. Eu precisei continuar trabalhando para sustentar a minha família”, afirma ele, que ganha dois salários mínimos (R$ 1.448).

Fonte: O Dia

Comentários
Carregando