Sargento confessa ter matado jovem e enterrado corpo em quintal, diz delegado

Um sargento aposentado do Corpo de Bombeiros foi detido nesta quinta-feira (3) suspeito de matar um adolescente de 16 anos e enterrar o corpo no terreno da residência em que mora, em Vila Merlo, Cariacica (ES). O nome do militar ainda não foi divulgado pela polícia.

O delegado Marcelo Cavalcante, titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida de Cariacica, disse que o sargento confessou o crime, em depoimento.

O jovem Ananias Vicente de Oliveira Coutinho estava desaparecido há dois meses, quando saiu de casa para capinar o quintal do sargento.

A família dele procurou a delegacia em Cariacica Sede para registrar a ocorrência e, naquela ocasião, policiais foram à casa do militar, mas ele disse que não sabia do garoto.

No entanto, nesta terça-feira (1), a Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima informando que Ananias havia sido assassinado e enterrado em um terreno que fica ao lado da residência do suspeito.

Os policiais seguiram até o local indicado, nesta quinta, onde foram recebidos pelo militar que teria dito que nada seria encontrado lá. Mas os policiais viram uma enxada e desconfiaram. Começaram a mexer na terra e encontraram cal, e, em seguida, parte de um corpo humano.

Naquele momento o suspeito teria dito: “É. Fiz merda”. Ele foi detido pela equipe da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV). A polícia acionou o Corpo do Bombeiros para auxiliar na retirada do corpo do local.

Movimentação de policiais na rua do sargento (Foto: Marcelo Prest/A Gazeta)

A família de Ananias

Segundo uma prima do jovem Ananias, uma dona de casa de 24 anos, o garoto tinha sete irmãos e dois pais idosos que sofrem problemas de saúde. A família é bem humilde, e Ananias era sempre visto pelas ruas em busca de ‘bicos’ ou mesmo de um emprego.

Para ganhar dinheiro, acabava se oferecendo para capinar lotes. Segundo familiares, o sargento sempre implicava com o garoto, gritando: “Vagabundo”. Mas em junho, o militar chamou Ananias para capinar o quintal da casa dele e o menino saiu de casa às 7h para realizar o serviço.

A denúncia

A mesma pessoa que acionou o Disque-Denúncia 181 também ligou para a prima de Ananias, dizendo: “Eu estava trabalhando na rua do sargento, quando vi seu primo entrando com a enxada. Depois ouvi gritos e barulhos como se fossem pauladas. Tempo depois vi o sargento saindo da residência, mas o Ananias não saiu mais de lá”.

Ainda segundo o denunciante, o bombeiro teria pedido a Ananias que cavasse a própria cova. “Enquanto o menino cavava o buraco, foi golpeado e assassinado”.

Terror na vizinhança

A reportagem conversou com vizinhos do sargento, que disseram que tinham medo dele, que era conhecido na região como um “cara ruim”, e foi acusado pelos moradores de matar animais de rua e de ter agredido a paulada um deficiente mental que pedia dinheiro na rua.

Fonte: g1/es

Deixe uma resposta