Saúde negociou droga de segunda segundo Labogen

Associação Médica Brasileira (AMB) concluiu estudo revelando que o citrato de sildenafila, que seria comprado pelo Ministério da Saúde por R$ 134,4 milhões em parceria com Labogen, não é considerado de primeira escolha para o tratamento da hipertensão arterial pulmonar. O contrato foi cancelado após a Operação LavaJato, da PF, denunciar o laboratório como carro-chefe do doleiro Alberto Youssef para lavagem de dinheiro.
Contrariando orientação de técnicos, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha foi testemunha da compra do sildenafil, princípio ativo do Viagra.
O presidente da AMB, Florentino Cardoso, diz que “o estudo foi realizado por um grupo de pesquisadores, mediante evidências científicas”.
O deputado André Vargas (ex-PT-PR) é acusado de operar, junto a Youssef, em favor de contratos milionários da Labogen com a Saúde.
A PF revelou ainda que o ex-assessor do Ministério da Saúde Marcus Moura foi contratado pela Labogen para fazer lobby no governo federal.

Fonte :diario do poder

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta