Secretário de saúde de RO anuncia concurso para final de agosto e fala do novo hospital de urgência

O secretário de saúde Rondônia, Williames Pimentel, afirmou que até o final de agosto deste ano deve ser realizado um concurso público para contratar profissionais da área da saúde, em substituição aos que tem contrato emergencial. A informação foi repassada durante entrevista na Rádio Transamérica em Porto Velho, no início da noite de quinta-feira (28). Além disso, o secretário ainda falou sobre a construção do novo pronto-socorro estadual e do hospital de Ariquemes.

“Até o final de agosto deve ter concurso público para substituir os que estão em caráter provisório, os que estão emergencialmente contratados, até o final de agosto. Teremos vagas para médicos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, vários profissionais da saúde”, garante o secretário da Sesau.

Pimentel fez um balanço da melhoria da rede estadual de saúde. Segundo o secretário, o “cenário mostra avanços em prestação de oferta de serviços mais ampliados em um processo cada vez mais de evolução”. Entre as melhorias, estão a criação do Serviço de Assistência Multidisciplinar Domiciliar (Samd), com 180 pacientes sendo atendidos em casa, a criação de novos leitos de UTI, ampliação do número de cirurgias, além do aumento do número de internações. “Há ainda uma linha de satisfação quando criou-se transplante de rim e córnea no Hospital de Base, e também a divisão do estado em duas macrorregiões, ao se criar o Pronto-Socorro em Cacoal”.

Novo pronto-socorro vai desafogar atendimento no João Paulo IIPronto-socorro
Por muitos anos, Pronto-Socorro e Hospital João Paulo II foi alvo de várias reclamações da população. Eram falta de leitos, pacientes jogados pelo corredores na unidade e também a falta de atendimento.

Segundo o Pimentel, hoje a realidade está diferente. “O João Paulo é uma unidade de urgência e emergência que nós fizemos várias ações para poder mantê-lo, numa condição ainda de superlotação, mas numa condição mais favorável para quem trabalha ter condições de trabalhar, e que haja uma satisfação do usuário com a equipe para poder salvar as pessoas que ali vão, que precisam do primeiro atendimento para estabilizá-lo e tirá-lo da morte. Então a criação de 70 novos leitos de retaguarda no hospital Santa Marcelina, os 200 leitos do Hospital de Base, o próprio Sand com 180 leitos, mais 129 leitos de UTI e o novo pronto-socorro de Cacoal foram todas medidas concretas tomadas para poder distensionar o heróico mas cansado espaço físico do JPII enquanto nós tentamos construir o novo pronto socorro do estado”, explicou.

Já o novo pronto-socorro, a obra ainda não foi concluída e está parada. Pimentel afirma que o local deve ser concluído ainda antes do término do mandato do governador Confúcio Moura. “O governador Confúcio viabilizou o empréstimo no BNDES pra construir o novo pronto-socorro. Nós tivemos problemas com a obra, houve uma rescisão de contrato com a empresa que vinha fazendo, que já fez toda a base da construção. Agora, nos próximos dias, estamos tornando a licitar. Há um meta do governador em concluir essa obra antes do término do seu mandato pra poder neutralizar o JPII e consolidar um legado de deixar um novo pronto-socorro na capital e no estado”, garantiu.

Já sobre o novo hospital de Ariquemes, que a obra está parada há cerca de um ano, o secretário garante que as providências estão sendo tomadas. “A empresa está pedindo rescisão, e o estado está recusando, Tudo indica que vamos entrar numa demanda judicial porque a empresa não quer reiniciar a obra, mesmo tendo depositado na Caixa Econômica Federal, R$ 17 milhões, o que representa 50% de todo o investimento da construção”, finaliza o secretário.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

1 thought on “Secretário de saúde de RO anuncia concurso para final de agosto e fala do novo hospital de urgência

  1. Este senhor só sabe mentir. É um verdadeiro embuste e cria do casal Raupp. Não tem nem a capacidade de pagar o que a empresa executou a maior para cobrir os erros gravíssimos dos projetos apresentados para sua construção. Mente para a população, pois não há tecnicamente pelas Normas da ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas, prazo hábil para execução das etapas construtivas até o final do mandato do atual Governador, sendo que durante 03 anos nem conseguiram obter o Alvará de Licença de Obras para sua execução por existirem 29 pendências de única responsabilidade do Estado e não da contratada para sua obtenção.
    Este senhor não sustenta nenhuma palavra empenhada, mentindo descaradamente com intuito unicamente político de forma expúria. Este senhor não é homem para enfrentar a verdade, e o desafio na frente da imprensa séria à desmascarar suas falsidades. Mente também que houve distrato contratual amigável. Ora a empresa foi notificada à receber um Termo de Paralisação de obras em final de junho/2015, em função da regularização técnica e legal da obra por parte do Governo do Estado, e, até a presente data não houve nenhuma regularização, e nenhum Termo de Reinicio das Obras, causando um prejuízo na demissão de mais de 220 trabalhadores qualificados, sem a devida remuneração pelos serviços prestados, que se gaba de haverem sido já executados.
    Portanto, acuso a este site de notícias, que o mesmo nunca nos procurou para saber da verdade dos fatos, nos excluindo de qualquer direito de ouvir as partes, antes de sair por aí beneficiando notórios malandros da política rondoniense.
    Roberto Luiz Passarini
    Engº Civil à 36 anos
    Construindo em Rondônia

Deixe uma resposta