Sem poder contar com Sintero e governo, professores procuram deputados para manter “Projeto Guaporé”

Uma bonificação que deveria ter sido paga desde 2013 poderá ser o motivo de cancelamento do programa Guaporé, na escola Carlos Drummond de Andrade, situada na região periférica de Cacoal (RO), que oferece aos estudantes escola em tempo integral.

O governo havia se comprometido a melhorar a estrutura da escola e pagar uma bonificação aos professores, que não foi regulamentada e o acordo foi feito “de boca”. Existia uma promessa de pagamento agora no final desse ano, mas na semana passada os professores receberam um e-mail informando que ficou para 2018.

Sem poder contar com o apoio do Sintero, que deveria buscar uma solução junto ao governo, já que representa a categoria, os professores tentam um último recurso, que são os deputados estaduais. Eles formaram uma comissão e tentaram falar com o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho no início dessa semana, mas alegando problemas na agenda ele não conseguiu atender o grupo.

Uma das professoras que compõe a comissão, afirmou que os demais que fazem parte do programa estão relutantes em continuar trabalhando no projeto, já que nenhuma das promessas feitas pelo governo foram compridas até agora.

Os professores produziram um relatório sobre a situação. Confira abaixo:




Veja abaixo o ofício encaminhado ao presidente da ALE, Maurão de Carvalho

Abaixo, a propaganda do governo sobre o Projeto Guaporé

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta