Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Senador Blairo Maggi é investigado por lavagem de dinheiro

0

O senador licenciado Blairo Maggi (PR-MT) também está sendo investigado pelo Ministério Público, no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF), para apurar indícios da prática do crime de lavagem de dinheiro. Fontes da Policia Federal que passaram toda a terça-feira, 20, cumprindo mandados de prisão e buscas e apreensão dentro da Operação Ararath admitiram que existe a possibilidade até formalização de buscas em locais de domínio do senador. Há também outros políticos de peso em Mato Grosso que também estão sendo investigados.

O Ministério Público Federal chegou a pedir uma busca e apreensão em endereços do senador, que governou Mato Grosso entre 2003 e 2010. Mas o ministro Dias Tóffoli, do STF, negou por entender que não havia elementos para adoção de tal medida. Além disso, Maggi está fora do Brasil. O republicano tem seu nome ‘gritado’ pelos aliados para ser novamente candidato ao Governo do Estado nas eleições deste ano. Ele, porém, resiste.

Durante todo o dia circularam, entre as informações na porta da Superintendência da Polícia Federal, de que a casa do senador José Pedro Taques (PDT) e seu escritório político, poderiam ser alvos da operação – o que não se confirmou. Em frevereiro, a PF realizou buscas nas casas de aliados políticos do senador pedetista, que é candidato ao Governo do Estado. Fernando Mendonça, um dos alvos da Operação Ararath, foi o maior doador da campanha de Taques nas eleições de 2010. Falou-se também em um deputado federal.

No inquérito, são investigados ainda o governador do Mato Grosso, Silval Barbosa; o conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso, o ex-deputado Sérgio Ricardo; o deputado estadual do Mato Grosso José Riva; e prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes. Também estão na lista o ex-secretário Eder Moraes. Riva e Moraes foram presos e transferidos para Brasília.

O governador Silval Barbosa também chegou a ser preso nesta terça-feira, mas liberado após pagamento de fiança. Durante cumprimento de mandado de buscas e apreensões em seu apartamento, a Policia Federal encontrou uma pistola .380 com registro vencido. Barbosa foi conduzido coercitivamente à sede da Policia Federal onde passou boa parte do dia.

As investigações da Policia Federal apura intensa e vultosa movimentação financeira do grupo, por intermédio de terceiros e empréstimos, com atuação análoga a de uma instituição financeira, teve início em novembro do ano passado. O inquérito do STF foi aberto em 31 de março deste ano e tramita em segredo de justiça.

Ao todo, foram 59 mandados de busca a preensão, 30 de condução coercitiva, um de prisão preventiva e um de prisão temporária. Além disso, a Justiça Federal em Mato Grosso já recebeu denúncias contra quatro acusados. As medidas cautelares são referentes a 10 inquéritos policiais e totalizam 23 decisões judiciais apenas da Justiça Federal de Mato Grosso.

Confira os mandados de prisões e busca e apreensão que já foram concluídas pela Polícia Federal na Operação Ararat: Bic Banco – São Paulo e Cuiabá Luiz Carlos Cozzeol – Cuiabá Vilceu Aparecido MArcheti – Primavera do Leste Ezequiel de Jesus Olveira Lara – Cuiabá Lince Construtora e Incorporadora – Cuiabá Ana Cristina Saboia – empresária – Cuiabá Manuel Jorge de Saboia – empresário – Cuiabá São Tadeu Energética S.A – Cuiabá Mauro Carvalho Júnior – empresário – Cuiabá Ricardo Padilha de Borboun Neves – empresário Cuiabá Borboun Fomento Mercantil – Cuiabá Gemini Projetos, Incorporações e Construções – Cuiabá Anildo Lima Barros – empresário – Cuiabá Laje Engenharia e Pavimentação LTDA – Cuiabá José Antonio Felix – empresário – Cuiabá Trimec Construções e Terraplanagem LTDA – Cuiabá WTorres Participações e Investimentos, Sol Vermelho Participações e Investimentos, Trimec Equipamentos – Várzea Grande Wanderlei Fachetti Torres – Cuiabá Lotufo Engenharia e Construções LTDA – Cuiabá Entrega de documentos Banco Daycoval Banco BMG

A quinta etapa da Operação Ararath começou logo cedo com a prisão de José Riva e Eder Moraes. Também foi preso o secretário de Trabalho e Assistência Social do Governo, Jean Esteves. Em seguida, agentes Federais passaram a ocupar vários pontos da cidade. Um deles foi o Edifício Maruanã e já com um chaveiro contratado para entrar em salas do 15º e 16º andares, onde funcionam a Ortolan Importações e Exportações, do empresário Alex Giovano Ortolan e a Intercotton uma corretora de seguros.

Na Ortolan Importações e Exportações, os agentes vão fazer buscas e apreensão nas salas 1507, 1508 e 1509. O empresário, segundo os agentes que continuam na porta do prédio é também acusado de ser dono de factoring. Já no 17º andar, os agentes se preparam para entrar na Intercotton, corretora de seguras que está instalada nas salas 1706, 1707 e 1708

Uma equipe da Polícia Federal também esteve em um outro prédio da Avenida Historiador Rubens de Mendonça, onde funciona o escritório de Eder Moraes para investigação. Lá os agentes tiveram de fazer uso de um chaveiro para abrir a porta e cumprir o mandado de busca e apreensão.

Veja como foi a Operação Ararath

Empresário testemunha na PF
O empresário do ramo de comunicação, Pérsio Briante, proprietário do jornal Circuito Mato Grosso, foi levado no começo da manhã até o prédio da Polícia Federal. Ele prestou informações como testemunha na Operação Ararath e logo depois foi liberado.

Busca e apreensão na Prefeitura de Cuiabá
Nem mesmo a Prefeitura de Cuiabá escapou da ação da Polícia Federal nesta manhã de terça-feira. Vários agentes chegaram por volta das 8h20 ao prédio da Prefeitura, na Praça Alencastro e subiram para vários andares, inclusive o 7º, onde fica o gabinete do prefeito Mauro Mendes para a realização de busca e apreensão de documentos.

Pelo menos três carros da Polícia Federal estão parados na porta da Prefeitiura e a investigação, às 9h15 continuava em várias salas. No saguão de entrada, dois agentes estão posicionados próximo aos elevadores e não permite a entrada de nenhum funcionário. Quem chegou antes do início da operação está proibido de deixar suas salas.

“Nem nós, que estamos aqui para entregar água mineral em vários andares não podemos entregar”, disse o motorista de uma empresa de água mineral, estacionado ao lado da entrada do prédio e esperando autorização para fazer a entrega.

Buscas na casa de Mauro Mendes
A Polícia Federal informou às 9h37 que agentes da Polícia Federal também se encontram na residência do prefeito Mauro Mendes, onde também acontece busca e apreensão.

Ex-prefeito também é preso
O ex-prefeito de Cuiabá, Anildo Lima Barros, dono de uma construtora que está trabalhando em obras da Copa do Mundo em Cuiabá, também é um dos presos na Operação Ararath. Ele chegou acompanhado de agentes da PF, na sede da Polícia Federal por volta das 8h50, e foi imediatamente levado para dentro do prédio

Buscas no TCE e no MPE
A ação da Polícia Federal também atinge o Tribunal de Contas do Estado e até mesmo o Ministério Público de Mato Grosso. Agentes continuam fazendo buscas em várias salas do Tribunal de Contas do Estado. Segundo informações as buscas acontecem na sala do conselheiro Sérgio Ricardo.

Caso dos Maquinários
Na sede da Polícia Federal, onde a agitação é intensa com a chegada de presos, testemunhas e de seus advogados, a informação prestada ao portal de notícias 24 Horas News, Pàs 9h28 era a de que paralelo a Operação Ararath esá sendo realizada também uma operação para apuração do caso dos Maquinários, ocorrido no final do governo Blairo Maggi (PR) e que teve o envolvimento de secretários estaduais, entre eles Eder Moraes. Fala-se inclusive que pode haver um mandado de busca e apreensão na casa do senador Maggi. A PF, no entanto no não confirma

Dono do Modelo na PF
Quem chegou, acompanhado de agentes federais, na sede da PF, às 9h29 foi o dono do supermercado Modelo, Altevir Magalhães, que passa por sérias dificuldades financeiras. Ao chegar ao prédio ele não quis falar com ninguém e nem a PF informou se ele é mais um dos presos da Operação Ararath ou se estava chegando ao prédio para dar depoimento como testemunha de acusação.

Advogado presta esclarecimento sobre maquinários
Ao falar com a imprensa sobre o envolvimento da Dymack, no escândalo do Maquinário, Otacílio Perón, disse que a empresa foi chamada para prestar esclarecimento devido a Polícia Federal ter encontrado na casa do ex-secretário de Fazendo, Eder Moraes documentos que ligavam a Dymack a venda de maquinários ao Estado.

“Nós fomos chamados apenas para dar esclarecimento sobre a documentação presa na casa do Eder Moraes. A PF encontrou planilha de custo na operação que foi financiada pelo BIC Banco”, informou.

O advogado esclareceu que muita gente está sendo ouvida e que a PF não descarta chamar o senador Blairo Maggi para prestar esclarecimento. “Ele era o governador na época da operação”, disse.

O escândalo dos Maquinários envolveu os ex-secretários de Estado de Infraestrutura, Vilceu Marchetti, e de Administração, Geraldo De Vitto Júnior, que figuram como réus na ação por improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE). Eles foram acusados de participar de um suposto esquema que culminou no superfaturamento de R$ 44 milhões na compra de 705 máquinas e caminhões do programa Mato Grosso 100% Equipado, episódio conhecido como “Escândalo dos Maquinários”.

Além de Marchetti e De Vitto, também figuram como réus as empresas Dymack Maquinas Rodoviárias Ltda., Cotril Máquinas e Equipamentos Ltda., Tork Sul Comércio de Peças e Máquinas Ltda. e Tecnoeste Máquinas e Equipamentos Ltda.

Sócio de Mauro Mendes é preso
ÀS 10H, A Polícia Federal informoui que prende o sócio do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, Mauro Carvalho. Ele foi foi levado para a sede da PF. Mauro Carvalho é sócio do prefeito em empreendimento de garimpagem e de construtora. Ele foi o coordenador financeiro da campanha do prefeito.

Paulo Prado é investigado
As informações pupulam na sede da Agência Federal. Às 10h05, foi confirmada que uma equipe também está na residência do procurador geral Paulo Prado, fazendo busca e apreensão em sua residência. Paulo Prado é procurador geral de Justiça em Mato Grosso. Polícia Federal também esteve no Gaeco, buscando buscas e a apreensão de documentos sobre vendas de sentenças do procurador.

Aparato para levar Riva para Brasília
Há pouco teve inicio uma movimentação muito grande no portão dos fundos da Polícia Federal, na Avenida do CPA, Várias viaturas estão sendo colocadas nas próximidades do prédio. Segundo as primeiras informações mais de 20 agentes foram escolhidos para fazer a escolta do deputado José Geraldo Riva, do ex-secretário de Fazenda, Eder Moraes e do secretário de Trabalho e Assistência Social, Jean Estevam Campos, que serão levados ainda nesta manhã para Brasília, onde devem ficar presos.

PF encerra operação na Prefeitura
Os agentes da Polícia Federal deixaram o prédio da Prefeitura de Cuiabá às 10h15. Eles desceram por um dos elevadores do prédio carregando um computador e pelo menos cinco sacos de documentos. Nenhum dos agentes quis informar que tipo de documentação foi apreendida e se realmento realizaram busca e apreensão no gabinete do prefeito Mauro Mendes.

Advogado de Eder Moraes chega na PF
O advogado Fábio Lessa, filho do secretário de Justiça do Estado, Paulo Lessa, chegou às 10h20 na sede da Poilícia Federal. Ele é advogado do ex-secretário de Fazenda Eder Moraes, preso nas primeiras horas da manhã na Operação Ararath, junto com o deputado estadual José Geraldo Riva e o secretário de Traballho e Assistência Social, Jean Estevam de Campos. Fábio Lessa entrou apressadamento no prédio, sem quer fazer nenhum comentário sobre a prisão de seu cliente.

Empresário deixa a PF
O empresário Altevir Magalhães, dono da rede de supermerdados Modelo, foi ouvido pela PF e deixou o prédio às 10h50, acompanhado de seu advogado
Jackson Mario de Souza. Ao deixar o prédio, Altevir disse que foi chamado para prestar esclarecimentos sobre o empréstimo que fez junto a Amazon Petroleo, do empresário Júnior Mendonça, que se encontra preso na Operação Ararath, no valor de R$ 1.450 mil. O empresário disse que explicou ao delegado da PF que como sua empresa, o Modelo, se encontra em sérias dificuldades financeira teve de apelar a uma factoring para conseguir o dinheiro para saldar dívidas. “Disse que pedi o empréstimo na Amazon Petroleo e que paguei o que devia”. Segundo o empresário foi indaga pelos delegados se sabia de onde vinham os recursos da factoring de Júnior Mendonça. “Eu disse que não sabia e fui liberado”, completou.

Dono de factoring também é ouvido
O dono da factoring e doleiro Ricardo Neves, também foi levado para a Polícia Federal, onde está prestando depoimento. Por volta das 11h, seu advogado, Ricardo Monteiro chegou a sede da PF para acompanhar o depoimento do cliente. Ao chegar, Monteiro disse que Neves estava sendo ouvido apenas por ser dono de factoring. Na verdade, Ricardo Neves, segundo informações da Polícia Federal é sócio do empresário Mauro Carvalho, que é sócio do prefeito Mauro Mendes. Neves e Carvalho tem negócios com um usina hidroeletrica, que distribui energia para Mato Grosso. Ambos são acusados de terem feitos empréstimos sem explicação do destino com o BIC Banco.

Mulher de Riva na PF
Quem chegou às 11h04 na sede da Polícia Federal foi a esposa do deputado estadual José Geraldo Riva, um dos primeiros a ser preso na Operação Ararath. Janete chegou acompanhada de escolta da Polícia Federal sem dar nenhuma explicação e foi levada rapidamente para dentro do prédio.

Silval chega a Polícia Federal
Após ter sua casa ocupada pela PF em busca e apreensão, o governador Silval Barbosa foi levado para a Superintendência do órgão. Ele havia resistindo a ir até a sede da Polícia Federal.

José Riva chega a sede da PF
O deputado estadual José Riva (PSD) chegou por volta das 13h30 na sede da Polícia Federal, escoltado por agentes. É possível que ainda nesta terça-feira, 20, seja transferido para Brasília. O parlamentar teve sua prisão decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Durante toda a manhã, agentes da PF permaneceram na residência de Riva, no bairro Santa Rosa, onde a movimentação foi grande.

Video mostra PF deixando edifício onde mora Silval
Mais um vídeo começou a circular nas redes sociais. Agora de veículos da Policia Federal deixando o prédio onde reside o governador Silval Barbosa. As imagens foram captadas por uma vizinha que mora em frente.


Colaboraram: Jonas Jozino, Valdemir Roberto, Rubens de Souza, Lauro Nazário, Fernanda Leite, José Ribamar Trindade e Maurício Cruvinel

www.24horasnews.com.br

Comentários
Carregando