O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, liberou para julgamento a ação penal que discute acusação de corrupção contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). O ministro é o revisor de todos os processos da “lava jato” originários no Supremo. Em despacho desta sexta-feira (8/6), o ministro pediu ao presidente da 2ª Turma, ministro Ricardo Lewandowski, que inclua o processo na pauta de julgamentos. O ministro Luiz Edson Fachin é o relator.

Gleisi é acusada de ter recebido R$ 1 milhão como suborno durante sua campanha ao senado, em 2010. O marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, e o empresário Ernesto Kugler são acusados no mesmo processo. De acordo com o Ministério Público Federal, o dinheiro tem origem em contratos superfaturados da Petrobras, investigados pela operação “lava jato”.

A ação é um dos processos emblemáticos. Em setembro de 2016, a 2ª Turma recebeu a denúncia por unanimidade, mesmo depois de a defesa de Gleisi e de Paulo Bernardo, feita pelos advogados Rodrigo Mudrovitsch e Verônica Sterman, ter demonstrado que as acusações se baseiam em delações premiadas que deram sete versões para os mesmos fatos. Não se chegou a um consenso sobre como o dinheiro foi entregue, por exemplo.

Na época, a defesa de Gleisi alegou que a senadora não ocupava cargo público e não poderia ser enquadrada como culpada de receber propina.

Redação Painel Político

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.