Símbolo dos atos anti-PT, Pixuleko faz ‘tour’ na terra da Lava Jato, Curitiba

O boneco que reproduz um desenho do ex-presidente Lula vestido de presidiário fará uma “turnê” por Curitiba, sede da operação Lava Jato, nesta quarta-feira (2).

Batizado de “Pixuleko”, em referência ao apelido de propina cunhado pelo ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o boneco de 12 metros de altura começou a ser montado pela manhã em frente a sede da Polícia Federal -onde estão alguns dos presos da operação que investia corrupção em contratos do governo federal.

Aos gritos de ” Um, dois, três, Lula no xadrez” e ” Lula ladrão, seu lugar e na prisão”, cerca de 50 pessoas acompanharam a montagem, por volta das 10h. Algumas carregavam cartazes com frases como ” Bem-vindo, Lula”.

“Vamos comecar a turnê aqui. Mas eu estou louco para passar com ele na reitoria [ da Universidade Federal do Paraná] , onde estão os vermelhinhos”, diz o músico Eder Borges, 32 integrante do Movimento Brasil Livre.

Para eles , os “vermelhinhos” são alunos da instituição, classificados ainda como comunistas e “ligados ao PSTU”. Nesta semana, estudantes da UFPR invadiram o local, em protesto contra as condições de estudo.

Os organizadores também pretendem levar o pixuleco ao Ministério Público Federal e ao centro da cidade, na sequência. O grupo de militares irá proteger o boneco de eventuais “atentados”.

O boneco, financiado por um empresário de São Paulo por R$ 12 mil, foi febre no último protesto contra o governo federal, em agosto, e alvo de facadas por defensores do governo de Dilma Rousseff em São paulo.

Um caminhão de som também foi posicionado em frente a PF. No microfone, manifestantes elogiavam os policiais e pediam o avanço da Lava Jato.

Com informações do site Uol

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário