Sindicato denuncia DER ao MP, “trem da alegria”

o Sindicato dos Motoristas Oficiais do Estado de Rondônia contesta declarações de Ezequiel Neiva, diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). A entidade alega que o diretor do DER prefere atacar o sindicato a  se defender de denúncias acerca de investigação que está sendo realizada pelo Tribunal de Contas quanto a suposta economia de R$ 180 mil que teria sido feita pelo órgão estadual, e acusa Neiva de ser patrono na criação de mais 200 cargos comissionados.

No comunicado,  o Simporo declara que o DER promove “gastos estratosféricos” com a folha de pagamento, que teria sido inflada em 25% do final do ano passado para cá. O sindicato também afirma que Neiva desconhece a estrutura da organização de trabalhadores ao promover seus ataques, e que em virtude de posicionamento em defesa de seus integrantes a entidade sofre retaliações de dirigentes do governo.

Confira abaixo a íntegra do comunicado sindical:

O Sindicato dos Motoristas Oficiais Profissionais do Estado de Rondônia (Simporo) vem a público se manifestar em relação às declarações do diretor-geral do DER-RO, Ezequiel Neiva, quando ele se defende de denúncias que estão sendo investigadas pelo Tribunal de Contas do Estado prefere atacar a entidade, em nome de uma suposta economia de R$ 180 mil.

Cabe à diretoria deste sindicato destacar o seguinte:

– O diretor-geral foi à imprensa, mas não demonstrou nenhum documento onde mostra essa economia de gastos, que é pífia em relação aos gastos estratosféricos que autarquia vem tendo com sua folha de pagamento;

– O diretor-geral disse que vem diminuindo os gastos mês a mês, mas quem acompanha os Atos da direção geral do DER-RO publicados no Diário Oficial do Estado vê exatamente o contrário. A folha de pagamento da autarquia subiu quase 25% do final do ano passado;

– E o que é mais flagrante: como é que o diretor-geral fala em economia de gastos se já está em fase de aprovação pela Assembleia Legislativa outros 200 cargos comissionados para o órgão?

– Sobre a representatividade do Simporo, o diretor-geral demonstra desconhecimento sobre a entidade;

– Foi através de uma de núncia feita pelo sindicato em 2007, que o Ministério Público do Trabalho obrigou o DER-RO a assinar um Termo de Ajuste de Conduta;

– Mesmo que muitas coisas desse TAC venham sido constantemente descumpridas pelo órgão, foi graças a ele que hoje a autarquia tem um plano de carreira, tem um quadro de servidores e o salário de várias classes tiveram crescimento;

– O nome do Simporo sempre foi motivo de retaliação dentro do DER-RO porque o sindicato sempre denunciou falcatruas, trens da alegria, e farra de diárias dentro do órgão;

– Talvez seja por isso que todos os diretores gerais que passaram pelo órgão sempre se aliaram a um sindicato pelego que atualmente não possui nem Carta Sindical para representar a categoria;

– O Simporo sempre assinou embaixo naquilo que diz e publica, pois está na representatividade de sua base há mais de 20 anos, e, portanto, sabe dos problemas profundamente porque sempre está em sintonia com os trabalhadores.

– No mais, o tempo irá comprovar se as denúncias do “Trem da Alegria” feito pelo Simporo na semana passada são verdadeiras ou falsas. Estamos sempre abertos ao diálogo, mas nunca permitiremos que o bom nome do sindicato seja utilizado irregularmente e defenderemos os interesses da categoria até onde for possível.

CLAY MILTON ALVES

PRESIDENTE DO SIMPORO

Com informações do Extra de Rondônia

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta