Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Sintero, o sindicato da honestidade e da responsabilidade

0

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Rondônia – SINTERO – tem uma Diretoria Executiva muito atrapalhada e que precisa, urgentemente, ser freada, para não acabar com o patrimônio do sindicato. Só que quando alguém fala isso eles ficam enlouquecidos, mas a falta de transparência continua sendo a maior bandeira da turma de Manezinho e companhia…

Na semana passada, a Diretoria Executiva protagonizou mais uma dessas patuscadas que somente são vistas no cinema. O sindicato tem cerca de 30 mil filiados. Todos pagam, fielmente, as mensalidades, mas quase ninguém sabe para onde vão os recursos do sindicato e a diretoria faz de tudo para esconder as informações. De tudo mesmo! Conforme prevê o estatuto do SINTERO, todos os anos deve haver a prestação de contas. Não tem coisa mais antiga do que isso. Demorar um ano para prestar contas é uma coisa complicada e a turma de Nereu e Manezinho gosta muito disso, pois isso facilita atos desonestos, permite fazer mil manobras e colocar muitas coisas embaixo do tapete. Mas o presidente do sindicato, quando fala sobre o assunto, diz que é tudo muito transparente, que ele zela pelo patrimônio dos filiados e é caluniado por mim. Respondo a vários processos por não concordar com as atitudes desse pessoal e sou criticado por algumas pessoas que são beneficiadas de uma forma ou de outra pela turma de Nereu.

Para mostrar como essa turma é complicada, vamos registrar alguns fatos relacionados com a prestação de contas de 2014. Primeiro, todo mundo sabe que os jornais eletrônicos são muito mais acessados do que os impressos, embora os jornais impressos tenham sua história.  Vale salientar também que os jornais impressos não podem ser condenados por ações do sindicato, pois uma coisa nada tem a ver com outra. Mas a turma de Nereu e Manezinho fez o seguinte: Eles publicaram, no dia 25 de abril, uma notinha em um jornal impresso de  Rondônia, informando que haveria em Guajará-Mirim uma assembléia para a prestação de contas de 2014. O evento aconteceria no dia 29 do mesmo mês. A notinha no jornal foi publicada num sábado, bem no cantinho do jornal, bem escondida e chamando quase 30 mil filiados para a prestação de contas, que aconteceria três dias depois. Mesmo sabendo que os servidores da educação costumam ler os sites do estado, a turma de Manezinho não publicou nada na mídia eletrônica. Foi tudo feito às escuras. Na assembléia de prestação de contas estavam cerca de 100 pessoas, um número bem menor do que os filiados. Manezinho e Nereu fizeram de tudo para dificultar a ida de filiados ao evento.

A prestação de contas foi aprovada por cerca de 50 ou 60 pessoas manobradas por Nereu e Manezinho e que foram levadas de Porto-Velho para Guajará-Mirim. Essas pessoas não têm culpa de nada. Foram usadas! E certamente nem sabem o que aprovaram. Mas vamos aos números: a turma de Nereu e Manezinho gastou quase 600 mil reais com greves em 2014. Todo mundo sabe que não teve greve em 2014. Interessante ler a prestação de contas e ver que foram gastos mais de meio milhão de reais com cursos de formação dos filiados. Que cursos? Onde ocorreram esses cursos? Quem participou? Ninguém sabe! Só Manezinho e Nereu. Colocar na prestação de contas do sindicato que houve greve em 2014 é chamar o filiado de idiota, é brincar com a cara das pessoas que trabalham duramente para pagar todos os meses a mensalidade. Quando eu disse que a Executiva do SINTERO gastava o dinheiro dos filiados de forma criminosa, fui processado por eles. Então nunca mais vou chamar a diretoria de criminosa.

Observando a prestação de contas, entendo, hoje, por que o advogado do SINTERO me atacava tanto nas audiências. A diretoria pagou no ano passado R$ 251.872,84 para o advogado que defende a Executiva. Dá uma média de mais de 20.000 por mês. Bem melhor do que o salário de um professor ou de uma merendeira! Advogar para o sintero é uma maravilha!! A executiva deveria incentivar todos os seus filiados a serem advogados ou contadores. O contador do sindicato da honestidade recebeu mais de 100 mil em 2014, para fazer as contas do sintero. Que maravilha!!!

Outro detalhe que me chamou atenção foram os valores que o sintero repassou para a CUT. Agora entendo por que o presidente da CUT de Rondônia me atacou duramente na imprensa do estado. O sintero repassou para a CUT, comandada pelo PT, R$ 246.223,52. Na mesma prestação de contas, consta que o sintero pagou para a CUT R$ 48.315,29, para bancar inscrições em cursos e treinamentos. Agora dá para entender por que a CUT brigou comigo… Outro detalhe interessante na prestação de contas é que o sintero gastou com alimentação, em 2014, R$ 92.642,83. Quase 10.000 por mês para alimentar a executiva do sintero. Pelo menos nossos líderes estão bem alimentados… E teve lazer também: Nereu e Manezinho gastaram, com cultura e lazer dos filiados, R$ 68.824,78. Isso justifica a música “… a gente não quer só comida…”, cantada pela banda Titãs.

Não vou dizer aqui que a Secretária de Finanças do sintero, Rosana Gomes Reis, fez nada de errado, porque ela está entre os diretores do sindicato que me processam na justiça. Para mim, ela é a pessoa mais honesta do mundo, um exemplo de moral. Mas ela assinou tudo isso. Ela disse, em uma audiência que tivemos, que sentiu sua honra ferida quando critiquei a diretoria. Desculpe, dona Rosana! Fui muito injusto com a senhora. Peço perdão… Na mesma audiência, estava o presidente do sintero, Manezinho. Ele disse, na ocasião, que sabe para onde vai “cada centavo do sindicato”. Ainda bem que a declaração foi dele, e o juiz que presidia a ausência sabe que não tenho nada com isso. Se nosso presidente sabe para onde vai cada centavo, e assinou a prestação de contas, quem sou eu para dizer que ele é desonesto? Para mim, Manezinho é um dos maiores administradores do Globo Terrestre. Ele sabe administrar com responsabilidade. Peço desculpas pelas vezes que discordei de nosso presidente. Ah, confesso que fico muito emocionado quando ouço Nereu puxar o grito de guerra do sindicato: “sintero somos nós, nossa força e nossa voz”. Que coisa emocionante! Quer saber? Se Nereu tivesse me chamado para a greve de 2014, onde eles gastaram mais de meio milhão de reais para custear o movimento, eu teria ido. E vou continuar filiado, para ajudar bancar a alimentação de nossos líderes.

Chega de birra!! Tenho dito!!

FRANCISCO XAVIER GOMES

Professor da Rede Estadual

Comentários
Carregando