fbpx
Sob pressão popular, vereadores de Colorado desistem de aumentar os próprios salários

Prefeito e vice também teriam vencimentos reajustados

Assim como em Vilhena, populares da cidade de Colorado do Oeste pressionaram os vereadores a não aumentarem o próprio salário. Na sessão da Câmara coloradense realizada na segunda-feira, 22, representantes de segmentos sociais até discursaram na tribuna da Casa de Leis do município contra o reajuste salarial dos 11 vereadores coloradenses. Mas na sessão, prevendo a reação popular, a proposta de reajuste sequer foi apresentada.

Segundo apuração do FOLHA DO SUL ON LINE, os vereadores de Colorado deram sinais de que iriam seguir a lei municipal que permite o reajuste salarial dos agentes políticos do Legislativo e do Executivo locais. Segundo a lei, os vereadores podem reajustar os salários deles mesmos e do prefeito e vice no final de cada mandato, sendo que os novos valores valeriam para quem assumisse em 2017. Observação: atualmente Colorado não tem vice-prefeito, mas o reajuste beneficiaria o próximo ocupantes do cargo.

Na sessão da Câmara coloradense desta semana, o auditório ficou lotado de populares, que compareceram à reunião para se posicionar contra o possível aumento.

“Entendemos que a arrecadação do município de Colorado diminuiu nos últimos anos e há previsão de queda em 2017. Por isso, acreditamos que não é momento de reajustes salariais dos vereadores, do prefeito e do vice”, disse um dos populares do município, que compareceu à sessão.

Com a decisão, os vereadores de Colorado não vão reajustar os salários dos agentes políticos do município por agora. Atualmente, um vereador em Colorado ganha R$ 3.800,00 mensais. Já o prefeito ganha R$ 12.312,00 mil.
Fonte: Folha do Sul

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta