Sobrinho e Cassol estão inelegíveis pelo TCE

No último dia 12, o Tribunal de Contas enviou ao Tribunal Regional Eleitoral uma lista com o nome de aproximadamente 300 gestores e ex-gestores públicos rondonienses, que terão dificuldades em conseguir o registro de suas candidaturas nas eleições deste ano. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é responsável pelo julgamento dos registros eleitorais. Isso porque a Lei do Ficha-Limpa veda a concessão de registro a quem tiver condenação por algum tipo de colegiado, no caso a Corte de Contas de Rondônia.

O primeiro da lista é o senador e ex-prefeito de Rolim de Moura, Ivo cassol (PP), e 89º, o ex-prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho, que chegou a ser preso no final do mandato acusado de corrupção com dinheiro da Prefeitura. O ex-prefeito Carlinhos Camurça (PP) também figura na lista.

Outros ex-prefeitos da lista são: Lindomar Garçon (PMDB) – Candeias do Jamari; Adão Ninke (PMDB) – Theobroma; Roberto Pilon (PMDB) – Guajará-Mirim; Padre Franco (PT) – Cacoal; Jair Miotto (PPS) – Monte Negro; Irandir Oliveira – Ouro Preto; Edmilson Maturana (PTN) – Vale do Anari.

A lista enviada ao TRE é relativa s a 620 processos julgados pelo Plenário do Tribunal de Contas, o que não significa que esse seja o número exato de fichas-sujas. É que vários deles possuem condenação em mais de um processo, como é o caso de Adhemar da Costa Sales – Ex-Lotoro, CGAG, Cagero, SOPH, e IPEM.

Os campeões em condenação são o ex-secretário da Secel, Juscélis Freitas, ao todo com nove processos , e o ex-secretário do DER-RO, Renato Lima, com oito.

Com informações do Tudorondonia

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário