fbpx
STF nega liberdade a Macarrão, amigo do goleiro Bruno

Marco Aurélio Mello, que concedeu liberdade a Bruno Fernandes há duas semanas, negou habeas corpus movido por Macarrão, envolvido na morte de Eliza Samudio

nistro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello negou pedido de liberdade feito por Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, amigo do goleiro Bruno Fernandes, envolvido na morte de Eliza Samudio.

Eliza desapareceu em 2010 e o corpo dela nunca foi achado. Ela tinha 25 anos à época e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

Há cerca de duas semanas, Marco Aurélio concedeu liberdade a Bruno e, com base nessa decisão, Macarrão também moveu novo habeas corpus.

No caso de Bruno, Marco Aurélio entendeu que havia excesso de prazo na prisão, já que ele estava há mais de seis anos preso sem que a apelação fosse julgada. Para o ministro, Bruno poderia aguardar o julgamento da apelação em liberdade – leia a íntegra da decisão sobre o goleiro.

Mas Marco Aurélio destacou, no entanto, que a situação de Macarrão é diferente, porque não cabe mais recurso no processo dele.

“A situação jurídica do paciente mostra-se individualizada. A apelação interposta em 2013 não foi apreciada. Então, sem culpa formada, encontrava-se sob custódia, dita provisória, há mais de 6 anos, sendo que os fundamentos respectivos não se sustentavam – gravidade da imputação e clamor social. O requerente tem contra si título judicial precluso na via da recorribilidade”, disse o ministro.

Eliza Samudio foi morta em 2010 e o corpo ainda não foi encontrado. (Foto: Reprodução/GloboNews)

Eliza Samudio foi morta em 2010 e o corpo ainda não foi encontrado. (Foto: Reprodução/GloboNews)

Relembre o caso

O goleiro Bruno Fernandes foi condenado em 2013 a 22 anos e 3 meses pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, ex-namorada dele, e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho.

Eliza desapareceu em 2010 e o corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

Embora já tenha sido condenado, Bruno estava preso preventivamente, enquanto aguarda o julgamento de sua apelação ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Bruno também foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal contra Eliza Samudio. Mas, segundo o advogado, ele já cumpriu essa pena.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta