STF vai discutir permanência de servidora casada com jornalista

O pedido feito pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, para que a mulher de um repórter deixasse o cargo na Corte será levado a uma reunião administrativa do tribunal. De acordo com o ministro Marco Aurélio Mello, ainda não há data para a realização do encontro e nem como o caso será analisado pelos magistrados.

“Há um descompasso. Não sei se houve simples ponderação dele (Barbosa) em não insistir na requisição ou se foi vetada a requisição, a prorrogação da requisição. Isso aí é que nós temos que ver. Pelo que eu soube, no caso, o ofício já seguiu para o presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, pedindo a continuidade. Vamos esperar um pouco, que tudo se resolva bem”, disse o ministro ao fim da sessão desta quinta-feira.

Em ofício enviado ao ministro Ricardo Lewandowski, Barbosa classificou de antiética a permanência da servidora Adriana Leineker Costa, funcionária efetiva do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e que trabalha no STF desde 2000, pelo fato de ela ser casada com o jornalista Felipe Recondo, repórter do jornal Estado de S. Paulo, que cobre o poder Judiciário.

Procurada pela reportagem, a assessoria do ministro disse que o presidente do STF não comentaria o caso, mas o Terra questionou Barbosa ao fim da sessão de julgamentos de hoje. Irritado, o ministro não quis explicar por que a permanência da funcionária de Lewandowski no cargo seria antiética.

“Ah chega, por favor. Por favor, né? O que escrevi está escrito. É só ler, tá?”, disse Barbosa.

No ofício, o presidente do STF acusa o repórter de utilizar a “intranet, internet e telefones colocados à sua disposição”, mas não apresenta qualquer prova. Adriana Costa era funcionária do ex-ministro Carlos Velloso, aposentado em 2006, e permaneceu na Corte com a chegada do ministro Ricardo Lewandowski, que apresentou sucessivas requisições ao TJDFT para que ela continuasse trabalhando em seu gabinete.

“As reiteradas requisições revelam que ela vem prestando bons serviços”, admitiu Marco Aurélio.

Assédio

O presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Celso Augusto Schröder, classificou a atitude de Joaquim Barbosa de reprovável. “Mostra como o ministro tem dificuldades em suas relações pessoais e com a democracia”, disse. Schröder ainda comparou o episódio a casos de violência contra a imprensa e disse que o caso foi um assédio cometido contra o repórter.

No STF, os jornalistas do comitê de imprensa que cobrem as atividades do Judiciário entregaram uma carta de desgravo ao secretário de comunicação da Corte, Wellington Geraldo Silva. No documento, os repórteres afirmam que Felipe Recondo, credenciado no Supremo há mais de sete anos, nunca gerou qualquer desequilíbrio no seu convívio diário e na saudável competição com os colegas.

“Ao contrário, é profissional que sempre pautou sua conduta com base nas qualidades de companheirismo e discrição. Além disso, é um dos mais competentes jornalistas especializados na área do Judiciário”, afirma a carta

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Por favor, dê um like em nossa página no Facebook
Placeholder
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília

Associado da Liga de Defesa da Internet