STJ discute visita a animais de estimação por casais separados
TST 

O processo gira em torno de um casal que manteve união estável em SP por mais de sete anos e questiona cuidados a uma cadela yorkshire

A 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) discute na tarde desta terça-feira (22/5) a “regulamentação de visita” a animais de estimação, envolvendo companheiros que se separaram. O caso, que tramita sob segredo de Justiça, trata da discussão se o instituto da guarda de menores pode ser aplicado na relação afetiva entre pessoas e bichos.

Segundo a reportagem apurou, o processo gira em torno de um casal que manteve uma união estável em São Paulo por mais de sete anos. Os dois viviam em regime de comunhão universal de bens e, enquanto estavam juntos, compraram uma cadela yorkshire.

Divorciaram-se em 2011, quando afirmaram que não havia bens para serem partilhados, deixando de lado, naquele momento, a discussão a respeito da cadela.

O ex-marido, no entanto, recorreu à Justiça sob a alegação de que, após a separação, foi impedido de manter contatos com a mascote na casa da ex-companheira. Ele alega o surgimento de “verdadeiro laço afetivo” com o animal, que era o responsável pelos gastos com a cadela e o impedimento de vê-la lhe vem causando “intensa angústia”.

O caso será analisado pelos cinco ministros que compõem a 4ª Turma do STJ: Luís Felipe Salomão (relator do caso), Isabel Gallotti, Antonio Carlos Ferreira, Marco Buzzi e José Lázaro Alfredo Guimarães.

Fonte: metropoles

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário