Superlotação nos presídios do DF é maior que no Amazonas

A situação mais grave é a do Centro de Detenção Provisória (CDP), onde há 4.006 presos ocupando 1.646 vagas.

O massacre de presos no Amazonas e em Roraima levantou novamente o debate sobre a superlotação das cadeias. Dados do levantamento mensal do Conselho Nacional de Justiça mostram a gravidade do problema também no Distrito Federal.

Hoje, há 7.210 vagas nas penitenciárias do DF, para 14.010 presos. Ou seja: existem quase dois detentos para cada vaga no sistema carcerário – isso representa um deficit de 6.800 vagas.

A situação mais grave é a do Centro de Detenção Provisória (CDP), onde há 4.006 presos ocupando 1.646 vagas.

Na penitenciária feminina, há hoje 696 mulheres detidas, ocupando 457 vagas. O deficit no presídio feminino é de 239 vagas.

A situação no sistema do DF é mais grave do que a registrada no estado do Amazonas, onde existem 4.430 presos para 3.297 vagas.

Presos ilustres

No Centro de Detenção Provisória (CDP), onde hoje há um deficit de 2,4 mil vagas, cumprem pena os presos ilustres do Distrito Federal: Luiz Estevão e dois condenados no mensalão, o publicitário Ramon Hollerbach e o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato.

Mas Hollerbach deve ser transferido em breve. Em dezembro, o Tribunal de Justiça do DF autorizou a transferência da execução da pena do publicitário para Nova Lima (MG), por ser perto de casa.

Fundo milionário

Enquanto isso, o Fundo Penitenciário do DF tem dinheiro parado. E não é pouco.

Levantamento do gabinete do deputado Chico Vigilante (PT) indica que o saldo hoje é de R$ 52.808.061,45.

Fonte: correiobraziliense

Deixe uma resposta