Ex-delegado acusado de matar missionário espanhol é condenado a 14 anos de prisão

Ex-delegado acusado de matar missionário espanhol é condenado a 14 anos de prisão

On : --

Acusado de matar o missionário espanhol Vicente Cañas em 1987, o delegado aposentado Ronaldo Antônio Osmar foi condenado a 14 anos e três meses de prisão pelo crime, após passar por júri popular nesta semana. O ex-delegado havia sido absolvido em 2006, entretanto, foi julgado novamente após recurso do Ministério Público Federal (MPF). Ainda cabe recurso da sentença.

Ex-deputado do PR irá a júri por acidente que matou dois em 2009

Ex-deputado do PR irá a júri por acidente que matou dois em 2009

On : --

A Justiça do Paraná marcou o julgamento do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli para os dias 27 e 28 de fevereiro de 2018. Depois de uma série de recursos apresentados pela sua defesa, ele será levado a júri popular e irá responder por duplo homicídio doloso (quando há intenção de matar) pela morte de duas pessoas durante um acidente de trânsito ocorrido em Curitiba em 2009.

Cunhado de Ana Hickmann só saberá se irá a júri popular em dezembro

Cunhado de Ana Hickmann só saberá se irá a júri popular em dezembro

On : --

Ficou para o dia 18 de dezembro deste ano a decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que definirá se Gustavo Henrique Bello Correa, cunhado da apresentadora Ana Hickmann, irá a júri popular. Ele foi denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) por homicídio doloso pela morte de Rodrigo Augusto de Pádua, 30, fã que tentou matar a apresentadora em maio de 2016, em um hotel no Belvedere, região Centro-Sul da capital.

Justiça manda a júri popular mãe que matou filho por ser gay em Cravinhos (SP)

Justiça manda a júri popular mãe que matou filho por ser gay em Cravinhos (SP)

On : --

SOROCABA – A Justiça decidiu submeter a júri popular a mãe que matou o filho de 17 anos por ele ser homossexual, em Cravinhos, no interior de São Paulo, em dezembro. Além da mãe, a ex-gerente de supermercado Tatiana Ferreira Lozano Pereira, de 32 anos, Victor Roberto da Silva, de 19, e Miller da Silva Barissa, de 18, também serão julgados como autores da morte de Itaberli Lozano. A vítima foi morta a facadas e teve o corpo queimado. Os três responderão pelo crime de homicídio triplamente qualificado, já que teria sido cometido por motivo torpe, meio cruel e sem dar chance de defesa à vítima. Tatiana também é acusada de ocultação de cadáver.