Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Técnico de enfermagem é preso suspeito de estuprar paciente em UPA de João Pessoa

Homem apalpou partes íntimas de jovem após aplicar medicamento que causa formigamento na região, segundo delegada.

0

Um técnico de enfermagem de 47 anos foi preso suspeito de estuprar uma paciente dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, na terça-feira (10). De acordo com a delegada Helena Vilela, da delegacia da mulher da capital paraibana, o homem também é suspeito de ter aplicado medicamento sem receita médica para causar formigamento nas partes íntimas da vítima.

Por nota, enviada as 10h40 desta quarta-feira (11), a secretaria de saúde de João Pessoa informou que “estão sendo tomadas todas as providências administrativas cabíveis em relação ao técnico de enfermagem acusado de conduta não protocolar no atendimento de uma paciente”, na UPA.

O crime teria acontecido por volta das 6h, após a vítima, uma jovem de 20 anos, dar entrada na unidade com um quadro de vômito e diarréia.

“A médica de plantão mandou aplicar dois medicamentos para aliviar os sintomas da vítima. Como reação, os medicamentos causaram sonolência e desorientação e a vítima já estava enfraquecida”, explica a delegada.
A delegada disse que segundo o relato da vítima, enquanto ela estava sonolenta, o técnico de enfermagem aplicou uma terceira medicação que causou formigamento nas partes íntimas dela e que, com o pretexto de aliviar os sintomas, ele levantou o vestido e a calcinha dela para fazer uma massagem. A jovem ainda disse que tentou reagir, mas não conseguiu por causa da fraqueza.
“O próprio suspeito contou em depoimento que aplicou a medicação sem estar no prontuário, mas que não fez isso de forma intencional a causar o formigamento. Ele disse ainda que quando tocou na virilha da vítima para aliviar os sintomas, ela reagiu e ele recuou, porém a jovem contou que ele continuou a apalpar a vagina dela e que ela não conseguiu reagir”, diz Helena.

Após o caso, a vítima dormiu e quando acordou, cerca de meia hora depois, o expediente do suspeito já havia encerrado. De acordo com Helena Vilela, a jovem relatou o crime para a mãe e para a coordenação de enfermagem da UPA, sendo orientada a prestar depoimentos na delegacia.

“Nossa equipe foi até a UPA no turno da tarde para colher depoimentos dos funcionários e ficamos sabendo que haveria uma reunião no local. Pedimos para não informar ao suspeito que estávamos no local e quando ele chegou para a reunião, fizemos a prisão em flagrante”, disse a delegada.

O técnico de enfermagem foi levado para a carceragem da Central de Polícia e aguardava a audiência de custódia na manhã desta quarta-feira (11). De acordo com a delegada, ele foi indiciado por estupro praticado mediante violência presumida, uma vez que a jovem estava vulnerável por efeitos de medicamentos, e também vai ser indiciado pelo crime de fornecer substância medicinal em desacordo com receita médica.

Atitude suspeita

De acordo com a delegada, funcionários da UPA informaram que o técnico agia com atitudes suspeitas, mas que até a terça-feira, nunca houve nenhuma denúncia de crime.

“Uma pessoa da equipe de enfermagem disse que ele sempre tinha pedia para atender os casos quando as pacientes eram mulheres jovens, e uma funcionária do setor de higienização contou que, em uma ocasião, ele estava trancado com uma paciente em um quarto e disse que não poderia abrir para funcionária fazer a limpeza da sala”, disse Helena.

A delegada explicou que vai apurar todos os casos e que ainda esta semana, outras pessoas devem ser ouvidas.

Fonte: g1

Comentários
Carregando