fbpx
Temer e Loures receberiam “aposentadoria” de R$ 500 mil por semana, durante 20 anos, dizem delatores

Luiz Vassallo, Rafael Moraes Moura e Amanda Pupo, do jornal Estadão, divulgaram durante o carnaval e terminou passando batido, que a Polícia Federal entregou ao Supremo Tribunal Federal os contratos de constituição de uma offshore nas Ilhas Virgens Britânicas em nome do pai, da mãe e da irmã de Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

Os papéis foram apreendidos no dia 6 de junho, na sede da empresa Nutrimental, conhecida pela produção de barras de cereal, em São Paulo. O endereço foi alvo de buscas e apreensões no âmbito da Operação Patmos, que prendeu preventivamente o ex-assessor do presidente Michel Temer (PMDB), flagrado em ação controlada correndo com uma mala de R$ 500 mil entregue pelo diretor de Relações Institucionais da J&F, Ricardo Saud.

As Ilhas Virgens Britânicas são consideradas um ‘paraíso fiscal’ porque sua legislação permite que fiquem em segredo os nomes dos reais donos das empresas lá constituídas, além de oferecer alíquotas de tributação baixíssimas. Segundo a Transparência Internacional, empresa offshore é uma ‘sociedade limitada que não tem presença física na jurisdição, não tem funcionários e não tem atividade comercial’. “Em geral, é constituída em um paraíso fiscal ou jurisdição secreta, e seu objetivo principal ou exclusivo é isolar o real beneficiário final de impostos, divulgação ou ambos”.

Loures foi denunciado por agir em nome de Temer na condição de ‘homem de confiança’ do presidente para interceder junto à diretoria do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) – órgão antitruste do governo federal – em benefício da JBS. Delatores dizem que foi prometida uma ‘aposentadoria’ de R$ 500 mil por semana durante vinte anos a Loures e ao presidente. Uma das malas recheadas de dinheiro foi entregue em um restaurante, em São Paulo, aonde Loures foi filmado pela Polícia Federal. O presidente nega, com veemência, ter aceitado propinas da JBS.

O homem da mala foi preso no dia 3 de junho de 2017 e está atualmente sendo monitorado por tornozeleira, morando em uma mansão no Lago Sul, em Brasília.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem na íntegra e ver os documentos.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta