Teste identifica substância cancerígena em semijoias de seis marcas conhecidas

In Brasil
Teste identifica substância cancerígena em semijoias de seis marcas conhecidas
Espalhe essa informação

Das nove empresas testadas, seis foram reprovadas por conter cádmio, substância tóxica, proibida por causar doenças renais e pulmonares.

A Proteste (Associação de Defesa ao Consumidor) realizou avaliações sobre a qualidade de algumas semijoias no Brasil. De acordo com os resultados, foi demonstrado que muitas marcas apresentam, em seus acessórios, substâncias cancerígenas, que fazem mal para a saúde dos usuários.

Das nove marcas de folheados, seis empresas apresentaram cádmio em suas composições, são elas: Rommanel, Naka, Gaya, Osher King Box, Shalom Joias e  My Gloss. A substância tem o uso proibido determinado pelo Inmetro, desde janeiro de 2016. O cádmio é um elemento químico tóxico que, mesmo em pequenas quantidades, pode causar problemas renais, hipertensão e doenças pulmonares.

A lei que regulamenta a presença do cádmio estabelece um prazo de 60 meses para as empresas retirarem do mercado objetos com a substância. Por isso, os fabricantes serão apenas notificados e incentivados a cumprir logo com a regra.

O outro lado

Resposta da My Gloss

A MyGloss lança em torno de 4.000 modelos por ano. São peças de diversos materiais e banhos diferentes. Todas acompanham certificado de procedência.

Resposta da Rommanel

A Rommanel é uma fabricante brasileira com mais de 30 anos de atuação no mercado de joias folheadas a ouro e rhodium, e segue a legislação brasileira, que atualmente (2017) não proíbe a utilização de cádmio na produção de peças folheadas a ouro. A empresa está ciente que a atual legislação está passando por uma atualização que irá proibir a utilização do cádmio na produção de joias folheadas, a partir de janeiro de 2019. Diante disso, a Rommanel já tem adaptado sua equipe e produção para este novo formato, fazendo com que as peças sejam produzidas sem a presença deste componente químico. De qualquer forma, a Rommanel pode afirmar que a presença de cádmio nas peças é mínima diante a quantidade de ouro manuseado durante a produção de cada linha e destaca que não utiliza níquel em sua produção, metal que em contato com a pele causa diversas dermatites alérgicas. Controlamos há mais de 30 anos todos os materiais utilizados em nossa produção e estendemos nosso cuidado não apenas aos produtos, mas principalmente às pessoas que trabalham diretamente conosco. Sempre cumprimos os limites determinados e regulamentados pela lei de produção para joias folheadas e nos mantemos como pioneiros em novas tecnologias e melhorias em diferentes frentes de trabalho que englobam o setor. A empresa faz avaliações frequentes em sua fábrica para que cada peça passe por diferentes medições e reafirma que seu produto não é prejudicial à saúde. Inclusive, a Rommanel contesta este teste e informa que já está​ providenciando novas análises que sejam realmente condizentes com a legislação e com os reais números em quantidade de ouro e de elementos químicos por produto. Nos colocamos à disposição para qualquer contraprova e visita à nossa indústria, para um mais aprofundado conhecimento do processo aplicado em nossa fábrica.

Resposta da Plínio Joias

Nossa empresa trabalha com com bijuterias, joias folheadas com garantia de três meses e semijoias com garantia de um ano. Não nos informaram qual mercadoria foi analisada. A empresa não fabrica – NÃO SOMOS MARCA DE FOLHEADOS, conforme mencionou a Proteste, nós somos uma loja multimarcas e vendemos joias de diversos fabricantes nacionais. Estamos aguardando o retorno da Proteste para tomarmos uma atitude. Vamos analisar as peças da marca utilizada na pesquisa e caso o dado se confirme, os itens serão recolhidos e devolvidos à empresa. Estamos nessa área há 40 anos e desconhecemos o padrão do folheado que a Proteste está usando como referência. A Plínio Joias existe desde 1946 e está de portas abertas para solucionar qualquer problema com clientes que se sintam lesados. Fornecemos um certificado que protege o cliente em qualquer compra. Esse é o nosso segredo. Aqui o cliente nunca perde, ele é o nosso patrimônio.

Resposta da Morana

Conforme constatado no teste realizado pela Proteste, o Grupo Ornatus, franqueadora da rede de acessórios Morana, reforça que as peças da marca não contêm cádmio. A Morana revolucionou o conceito de varejo de bijuterias ao lançar peças com aparência de joia e com a qualidade de uma peça folheada. Entendendo o quanto isso é importante para as consumidoras da marca, há uma grande preocupação da empresa em oferecer acessórios livres de qualquer substância que possa causar danos à saúde. Por esse motivo, os produtos, em sua maioria importados da Coreia do Sul, são adquiridos apenas mediante a comprovação do certificado que garante a idoneidade da matéria prima. Dessa maneira, a Morana já segue as normas da Portaria nº 43, de 22 de janeiro de 2016, do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – INMETRO –, que estabelece essa restrição.

Fonte: metrópoles.com

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Torcedor fanático tatua camisa do Flamengo em tamanho real

Torcedor fanático tatua camisa do Flamengo em tamanho real

Espalhe essa informação Identificado como Maurício, o morador de Joinville (SC) passará por 15 sessões para terminar o trabalho.

Read More...
Documentos da Odebrecht guardados na Suíça chegam ao Brasil

Documentos da Odebrecht guardados na Suíça chegam ao Brasil

Espalhe essa informação Segundo delatores e investigadores, o servidor traz registros de pagamentos para a campanha de Dilma Rousseff

Read More...
Passageira com bebê no colo é agredida por comissário da American Airlines dentro de avião; vídeo

Passageira com bebê no colo é agredida por comissário da American Airlines dentro de avião; vídeo

Espalhe essa informação O funcionário da American Airlines também chamou um outro passageiro para a briga. A companhia diz

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu