Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Tite é o novo técnico da Seleção Brasileira de futebol

0

O técnico Adenor Leonardo Bacchi, conhecido como Tite, é o novo comandante da Seleção Brasileira de futebol. A confirmação foi feita pelo presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, na tarde desta quarta-feira (15/6). O treinador substitui Dunga, que foi demitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nessa terça (14), dois dias após perder para o Peru na Copa América e desclassificar o time.

O ex-comandante do Timão não virá para Brasília, onde o Corinthians enfrenta o Fluminense, no Estádio Nacional Mané Garrincha, nesta quinta-feira (16/6). Roberto de Andrade, após confirmar a contratação de Tite pela CBF, desabafou contra a instituição.

A Seleção não merece o Tite. Estou puto com a CBF para ser bem exato, pela maneira que eles vieram. Não recebi um telefonema do presidente da CBF. Esse é o respeito. Hoje tentou falar comigo depois de tudo resolvido. O Corinthians merecia mais respeito

O técnico deixará o comando do Corinthians. Na tarde dessa segunda (13), durante o treino do time no CT Joaquim Grava, o presidente do clube Roberto de Andrade conversou com Tite e tentou o convencer a permanecer no time mesmo após o convite da CBF.Já o ex-presidente do clube, Andrés Sanchez, em entrevista ao jornal O Globo disse que ele não deveria ir para a Seleção. “Acredito que ele vá falar ‘não’. Acho que é muito difícil para ele. Queira ou não queira, é um escudo para a CBF”, afirmou. O atual deputado federal é um dos nomes cotados para assumir a Presidência da instituição.

Climão
Tite aceitou o convite das mãos de Marco Polo Del Nero. Porém, em 2015, o treinador assinou um documento pedindo a renúncia do atual presidente da CBF.

“Exigimos a renúncia definitiva de Marco Polo Del Nero e sua diretoria, seguida da convocação de eleições livres e democráticas para o comando da CBF, sem a atual cláusula de barreira, mecanismo que impede a aparição de posições independentes ao sistema vigente, pois exige oito assinaturas de federações e mais cinco de clubes para candidaturas”, dizia o texto.

Comentários
Carregando