Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

A trágica história por trás do clipe de ‘See you Again’, que se tornou o vídeo mais visto na história do YouTube

0

“See you again” superou Gangnam Style como o mais visto na plataforma de vídeos; seus compositores se inspiraram não só em morte de ator em 2013, mas também em experiências pessoais

A comovente música “See you again” se tornou na semana passada o vídeo mais visto na história do YouTube, com 2.909.402.388 visualizações.

Para chegar ao primeiro lugar, teve que desbancar um “peso pesado” da plataforma de vídeos online: o hit sul-coreano “Gangnam Style” que, cinco anos depois de ter alçado o cantor Psy à fama, reinava absoluto.

A nova música número um é interpretada pelo rapper Wiz Khalifa e pelo cantor Chris Puth e faz parte da trilha sonora do filme “Velozes e Furiosos”.

Também contou com a produção de Justin Franks (conhecido como DJ Frank E), um jovem músico de Los Angeles.

Em comum, todos eles buscaram inspiração em um mesmo tema: a morte – e como lidaram com o trauma de ter perdido amigos ou parentes.

“See you again” foi lançada em 2015 para promover o sétimo lançamento da franquia “Velozes e furiosos”, que também tinha um tom de luto: foi o primeiro filme lançado depois da morte de um de seus protagonistas, Paul Walker, em um acidente de carro em novembro de 2013.

História

A saga nunca chamou atenção por oferecer momentos sensíveis, profundos ou melodramáticos. São filmes repletos de ação, que seguem à risca o manual de como produzir um blockbuster em Hollywood.

Por isso, a Universal Pictures, dona da franquia, convocou uma série de músicos para compor uma música que pudesse servir de homenagem ao ator.

Frank diz que se inspirou em uma perda irreparável: a morte de um de seus melhores amigos.

“Não lembro de ter escrito uma letra e imediatamente depois ter chorado por um longo tempo como aconteceu com essa música”, confessa Franks à BBC.

Paul Walker morreu em 2013 em um acidente de trânsito em uma estrada na Califórnia

“Essa perda teve um efeito profundo na minha vida e, pelos números do vídeo, é claro que não estou sozinho nesse sentimento”.

Segundo o produtor, “eu já havia composto músicas para a rádio, para alguns clubes, mas esta foi a primeira vez em que senti que uma música minha importava. Importava para a família do meu amigo e para a de Paul Walker”.

Puth passou por uma experiência semelhante.

“Eu não conhecia Frank, mas, quando nos encontramos pela primeira vez, vimos que compartilhávamos a mesma experiência sobre a morte de amigos próximos. Decidimos falar sobre essas perdas na canção. E, depois de interpretá-la no piano, a enviamos para a Universal”, diz ele ao jornal americano Los Angeles Times.

Uma dessas perdas foi a de Vail Cerullo, um colega de Puth na Universidade de Berkeley, onde ambos estudavam música. Cerullo morreu em um acidente de moto em 2012.

Esse sentimento é transmitido na letra: “How can we not talk about family when family’s all that we got?/Everything I went through you were standing there by my side”, que pode ser traduzido como “Como podemos não falar de família, quando a família é tudo que temos?/Você sempre esteve ao meu lado durante tudo que passei”.

“Quando a vimos pronta, eu a cantei para minha família. Caí em prantos diante deles e pude ver a reação em seus rostos. Foi algo muito poderoso”, diz Franks. “Depois a interpretamos para a família do meu melhor amigo e do amigo de Charlie (Puth). Sentimos que havíamos composto algo que importava”.

Assim, a música foi escolhida para a última cena do filme, em que há uma homenagem a Walker.

Comentários
Carregando