“Transposição dos servidores não saiu por culpa dos senadores”, diz Moreira

Candidato ao Senado da República, pela Coligação Frente Muda Rondônia, Moreira Mendes (PSD) externou sua insatisfação com a atuação dos colegas parlamentares que fazem parte da bancada federal em Brasília (DF). Moreira Mendes responsabilizou essas lideranças e o Governo de Rondônia por não terem feito a transposição dos servidores públicos estaduais do ex-território federal para os quadros de funcionários da União.

Moreira disse que era impossível entender como Rondônia, com os atuais senadores apoiando a presidente Dilma Rousseff, não conseguiu durante os últimos anos resolver a questão da Transposição. “Os senadores não tiveram a coragem de se contrapor ao governo. Todos estão com rabo preso com emendas e recursos. Eu acho isso um desatino para o povo do nosso Estado. Pior que isso, o governador que deveria ser o grande mandatário, de bater na mesa e exigir da presidente da república que atendesse aquilo que é direito do povo de Rondônia, não fez”, disse.

Segundo Moreira Mendes, cerca de 18 mil servidores já deveriam estar recebendo seus salários na folha de pagamento da União, mas ainda não foram contemplados. Seis anos depois da Emenda Constitucional que criou a Transposição apenas um servidor permanece nos quadros do Governo Federal. “Isso é uma vergonha, o Governo Federal debocha da gente. Eles estão economizando mais de R$ 40 milhões. Dinheiro que estamos perdendo porque não tivemos a coragem de tomar as decisões na hora certa”, esclareceu. Moreira Mendes disse que, mesmo atuando como deputado federal, não conseguiria fazer tudo sozinho. É preciso união. “Tem que ter coragem, tem que ter peito para tomar as decisões certas. Eu faço parte da bancada, mas eu, sozinho, não consigo fazer nada. Se juntasse os oito deputados e os três senadores e com a liderança do governador, seria possível fazer muito”, enfatizou Mendes.

Moreira aproveitou para reclamar a falta de posicionamento dos integrantes da bancada de Rondônia e disse que homens eleitos pelo povo não devem defender interesses particulares ou familiares, mas trabalhar pelo cidadão.
“Eu era líder do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, quando o governo dizia que o produtor rural não podia desmatar 80% das propriedades e se fizesse teria que recompor. Eu fiz uma carta e renunciei minha posição de líder para defender o trabalhador rural, o povo de Rondônia. Eu sempre tive lado, nunca fiquei em cima do muro. Mesmo estando por vezes do lado do governo, sempre tiver coragem de tomar as atitudes para defender o povo do meu Estado. Por isso quero ser senador para trabalhar com o Expedito Júnior, governador, para brigar em Brasília por Rondônia”, finalizou.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta